GABRILA65162183544miv_Superinteressante Created with Sketch.

O Brasil e a Copa

Se saírem do papel os investimentos em estrutura para o evento de 2014, a cara de nossas cidades será bem diferente

Texto Vitor Leal Pinheiro

Sediar um evento esportivo custa caro, mas costuma ser bom negócio para os países. Um exemplo é o caso da Austrália, que investiu mais de US$ 4 bilhões na organização dos Jogos Olímpicos de 2000. Para cada dólar gasto, o país recebeu 100. Foram criados 100 mil empregos, e a indústria do turismo passou a movimentar US$ 755 milhões a mais por ano. Depois que os jogos acabaram, a infraestrutura ficou para a população: foram novas linhas de ônibus, estádios reformados e reurbanização de espaços públicos.

No Brasil, a torcida é para que aconteça o mesmo. Alguns investimentos já foram anunciados. A 5 anos do evento, ainda não dá para saber se tudo vai sair do papel, mas mesmo assim dá para chutar, sem risco de acertar na trave, que os investimentos vão ser bons para o país. A estrutura que chegar a ser construída será aproveitada pela população. Confira o que vem por aí:


A VUVUZELA É UMA CORNETA USADA POR TORCEDORES DE FUTEBOL DA ÁFRICA DO SUL. DEVE MARCAR PRESENÇA NA COPA DE 2010.

12 capitais brasileiras vão sediar jogos
Belo Horizonte, Brasília, Cuiabá, Curitiba, Fortaleza, Manaus, Natal, Porto Alegre, Recife, Rio de Janeiro, Salvador e São Paulo

Porto Alegre planeja 37,4 km de metrô, mas só 13,2 km devem ficar prontos até a Copa.

Rio de Janeiro deve receber R$ 4 bilhões em investimentos do PAC na cidade, para obras que vão de saneamento básico a infraestrutura portuária. Já o governo federal promete investir mais R$ 5 bilhões em corredores de ônibus, metrô e acessibilidade aos estádios e aeroportos.

São Paulo deve fazer investimentos de R$ 27 bilhões em infraestrutura e mobilidade urbana. Johanesburgo, a maior cidade da África do Sul, deve investir o equivalente a R$ 280 milhões no transporte público para a Copa de 2010.

O trem-bala brasileiro em números
Um dos principais projetos para a Copa é a construção do Trem de Alta Velocidade (TAV)ligando São Paulo e Rio de Janeiro. O projeto, que também terá estações nos aeroportos de Guarulhos (Cumbica) e Campinas (Viracopos), está em consulta pública.

• Deve custar cerca de R$ 35 bilhões.

• São pouco mais de 500 quilômetros de trilhos, sendo 90 deles dentro de túneis – todos em áreas urbanas.

• Mas alguns especialistas dizem que nem adianta contar com o trem para 2014; nenhuma cidade do mundo conseguiu construir tantos quilômetros de túneis em tão pouco tempo.

Quanto custarão as reformas e construções de estádios
Inicialmente, o cálculo era de R$ 2 bilhões para todos os estádios do país, mas o valor pode chegar a quase R$ 4 bilhões.

Morumbi: entre R$ 130 e R$ 250 milhões.

O estádio de Manaus deve custar R$ 600 milhões. Já o de Salvador, R$ 550 milhões.

O Maracanã, possível palco da final, deve ficar em torno de R$ 460 milhões.

Mas tudo isso pode mudar, já que as cidades-sede têm até o final de setembro para enviar seus projetos finais.

• Fique de olho
Em 2007, Ricardo Teixeira, presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), dizia que não haveria dinheiro público na construção ou reforma dos estádios para a Copa. Hoje, já admite que, em pelo menos 8 deles, deve entrar grana do governo.