GABRILA65162183544miv_Superinteressante Created with Sketch.

A Netflix pode ser uma bolha – assista antes de ela estourar

Os serviços de streaming, que produzem entretenimento quase gratuito, podem estar com os dias contados.

Netflix pode ser uma bolha assista antes de ela estourar

Se você – assim como nós aqui da redação – não tem uma vida social muito agitada, sabe que a Netflix vive lançando séries novas em seu catálogo. Boa parte delas são produções próprias: escritas, dirigidas e gravadas por eles mesmos, como os ótimos House of Cards, Narcos ou Stranger Things. Mas não é só a Netflix que produz seus seriados particulares: a HBO (com Game of Thrones e Westworld) e a Amazon (com Transparent e Mozart in the Jungle), por exemplo, também não ficam atrás, na esperança de cativar a nossa audiência e de nos tirar da frente de outros tipos de entretenimento gratuito, como o Facebook ou o Instagram. De fato, espera-se que em 2017 sejam produzidas 500 séries na televisão, nos canais a cabo ou nos serviços de streaming. É quase o dobro de 2010, que teve 216.

Apenas a Netflix deve gastar no ano que vem US$ 6 bilhões para bancar suas produções – quase o dobro do que investiu em 2014. Até aí tudo bem, você pode pensar – uma empresa precisa investir para se manter em pé. O que pouca gente sabe é o tamanho das dívidas do serviço de streaming. A Netflix deve US$ 14,3 bilhões de dólares – um valor 36 vezes maior do que todo o dinheiro que ela já faturou desde que botou suas ações no mercado, em 2002. Ou seja, a conta está longe de fechar. Mesmo a Amazon lucrou no ano passado US$ 596 milhões (depois de ter perdido US$ 241 milhões em 2014), um resultado não muito impressionante para uma empresa com uma receita de US$ 107 bilhões.

Assim, não é de se estranhar que a boiada dos seriados bons e quase-de-graça (os pacotes da Netflix custam a partir de R$19,90 ao mês, enquanto que a Amazon cobra US$11 de seus assinantes americanos) esteja com os dias contados. Alguma hora, essa bolha pode estourar.

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. José da Silva

    No Brasil ela faturou 1,1 bilhão de reais ano passado, que foi um período de crise. Mas vamos observar…

    Curtir

  2. Rafael de Castro Nascimento

    “Negócio bilionário: Disney pode comprar a Netflix” .. em outubro surgiu essa informaçao .. explique isso .. por que a disney estaria interessada na “netflix falida”?

    Curtir

  3. Vicente Galdino

    Ok, talvez ela seja uma bolha ou venha a se tornar uma, mas convenhamos, eu não fui fazer nenhuma pesquisa, mas vocês afirmam que a dívida dela é de 14,3 bilhões de dólares e é 36 vezes maior que tudo que ela faturou (olhe que faturamento não é lucro, o que significa que o lucro deve ter sido bem menor, ou pelo menos menor), se pegarmos os 14,3 bi é dividirmos por 36 chegamos a um valor de faturamento desde 2002 de 397 milhões de dólares, o que dá em média 28 milhões de dólares por ano de faturamento, muito estranho estes números divulgados por vocês!

    Curtir

  4. Renan Winter Reis

    Estas informações não batem com o balanço divulgado pela Netflix.

    http://br.investing.com/equities/netflix,-inc.-balance-sheet

    Curtir

  5. Gabriel Vital

    Abri a página esperando uma análise detalhada, explicando a tal bolha. O que li foi algo completamente diferente. O autor do texto simplesmente diz: “Bom, temos esses números aqui, que são maiores que aqueles ali. Essa conta vai ficar complicada. Vamos ver no que vai dar”. Basicamente isso. Raso como um pires.

    Curtir

  6. Luciana Lima

    Corri pra ver o ultimo balanço divulgado também e as informações não batem com as daqui!

    Curtir

  7. Belen Tamanca

    nossa vcs as vezes podiam mudar o nomeda revista para SuperSensacionalistasempesquisa. Por essa e outros cancelei minha assinatura da revista em papel

    Curtir

  8. E na aula de hoje aprendemos como perder a credibilidade apenas inventando números. Por hoje é só, pessoal.

    Curtir

  9. ERR_INTERNET _DISCONNECTED

    Tive que logar para destacar o ótimo trecho:
    “De fato, espera-se que em 2017 sejam produzidas 500 séries na televisão, nos canais a cabo ou nos serviços de streaming. É quase o dobro de 2010, que teve 216.”
    em que o autor demonstra todo o seu conhecimento em matemática. Parabéns aos envolvidos.

    Curtir

  10. Vinícius Silva Dórea

    Eu vou cancelar a minha assinatura também. Que a revista viva do dinheiro que recebeu pra fazer essa matéria. Ridiculos comprados.

    Curtir

  11. Fernando Lucio De Souza Batista

    certamente essa revistinha de fofoca não tem a Netflix como anunciante

    Curtir

  12. wendel rhrael de sousa araujo soares

    Esse ai merece um premio mesmo. Uma tabuada.

    Curtir

  13. Muahahahaha.

    Curtir

  14. André Birnfeld

    kkkkkkkkk analise perfeita, fiz questao de criar conta só pra te cumprimentar. Parabéns.

    Curtir

  15. Maurício Araújo

    Incrível a quantidade de besteira neste texto. O que a inveja faz com as pessoas.

    Curtir

  16. Olhar de Desdém

    a Super sempre se SUPERando com esses jornalistas mediocres de humanas q não sabem fazer uma conta basica…. 216 é QUASE O DOBRO de 500? é SÉRIO isso mesmo?…. Karin, no seu pc, note, tablet, celular… até no relógio Cassio de 30 anos atras tem uma coisa q feita especialmente pra gente q nem vc q se chama CALCULADORA….

    Curtir

  17. Olhar de Desdém

    pois é, e seguindo a SUPER linha de raciocinio genial da jornalista, podemos supor q:
    Se em 2014 investiram ‘quase o dobro’ dos 6 bilhoes previstos pro proximo ano, logo em 2014 foram investidos um total de 2,59 bilhões.

    Curtir

  18. O fundo do Poço

    Veja bem, a afirmação do texto foi… 500 é QUASE O DOBRO 216. Obviamente nosso problema matemático persiste, mas adicionando sua dificuldade na interpretação de texto, já podemos afirmar que o problema nacional é com EDUCAÇÃO BÁSICA

    Curtir

  19. WALTER ANDRADE CARNEIRO

    Esta notícia me deixou bastante preocupado. Explico. Acabo de assistir o último capítulo da 1ª temporada da série THE CROWN, uma série baseada em fatos reais, portanto nada de ficção barata cheia de efeitos especiais e sem conteúdo que o valha. Tudo bem que a ação é praticamente ausente dessa magnífica série inglesa mas a história prendeu-me do primeiro capítulo ao 10º, e agora fico na expectativa de que venham mais capítulos sobre a vida pessoal e política da família Real Inglesa tão bem retratada nos primeiros 10 capítulos. A NETFLIX não pode falir justo agora, mesmo que eu tenha que pagar mais caro para continuar online.

    Curtir

  20. sério mesmo? as matérias são publicadas sem nenhuma revisão neste site?

    Curtir

  21. Tadinho do seu Walter! O Netflix não vai falir! Não se preocupe.
    Vai assistir a continuação da sua série que o senhor gosta.

    Curtir

  22. Walter, também fico bastante preocupado.. até pq comecei a assistir Stranger Things, Between entre outras… se a Netflix falir não sei o que vou fazer… mas acredito que isso não vai acontecer tão cedo, ela só cresce….. (rsrsrsrs)

    Curtir

  23. Augusto Fleck

    Aí eu entro na matéria achando que ia ler algo com um conteúdo íntegro, eu vejo uma análise superficial com fontes duvidosas. Ai eu pergunto, vocês fazem isso para gerar acessos ou vocês são fracos mesmo.

    Curtir