GABRILA65162183544miv_Superinteressante Created with Sketch.

Clones 2

Confira mais algumas celebridades que possuem almas gêmeas no mundo do estrelato. E envie as suas sugestões para biografias@abril.com.br

Adriano Silva

Juliana Paes é a nossa Jennifer Lopez

A beleza tropical, a mulher latina em sua melhor acepção. A mulatice maravilhosa, bem fornida, curvilínea, a tez café-com-leite em sua versão máxima. Das maçãs protuberantes da face ao sorriso largo e róseo, dos olhos de jaboticaba e cílios longos às ancas fantásticas, generosas: ângulos que insinuam, carnes exuberantes que não têm a menor vergonha de existir e de fugir ao padrão frio e esguio da beleza anglo-saxônica.

Carolina Ferraz é a nossa Angelina Jolie

O protótipo da moça rebelde, sem frescura, jeans-e-camiseta. Cuja fragilidade aparente engana os incautos. Trata-se de uma mulher forte, com atitude, que não precisa de maquiagem nem de cuidados extras para ser maravilhosa. Que fuma, é mãe solteira, adora usar roupas masculinas e domina com o timbre de voz e com o jeito de olhar o ambiente em que se encontra. Duas gatas que não são unanimidades entre os homens – mas são invejadas por quase todas as mulheres.

Ellen Roche é a nossa carmem Electra

Em matéria de pele alva, olhos claros, viçosos e arrebatadores, não há nada igual no planeta Terra. As quatro loiras desta página, aliás, são perfeitamente intercambiáveis no exercício de adoração proposto nesta seção. O sonho supremo de qualquer atleta de alcova é ter as quatro na cama ao mesmo tempo. E, claro, dar conta do recado.

Caio Blat é o nosso Johnny Depp

O eterno garoto. O homem angelical. O adolescente que não quer crescer. E que usa bem o tipo físico mignon e o sorriso juvenil para enganchar suas presas. O sujeito que parece inofensivo ao sexo oposto. Mas que está longe de sê-lo.

Luize Altenhofen é a nossa Pamela Anderson

A loira descomunal. O corpo mais-que-perfeito. Uma sedução primal, que, de tão acachapante, chega a ser agressiva ao admirador. A deusa nórdica, absoluta. O objeto lúbrico mais óbvio que Deus (Grande Deus! Obrigado, Deus!) já pôs na Terra.

Alexandre Borges é o nosso John Cusack

O homem descolado, que goza tanto de apelo popular quanto de respeito cult. O cara cool, bem-resolvido. Que sabe ser macho quando é preciso. E que é sensível e delicado quando tem que ser.