GABRILA65162183544miv_Superinteressante Created with Sketch.

Como se avalia um desfile de escolas de samba?

No desfile do Rio, o maior do país, as escolas de samba são avaliadas por 40 jurados escolhidos pelo presidente da Liga Independente das Escolas de Samba. Esse jurados são divididos em grupos de quatro para cada um dos dez quesitos avaliados.

Iara Crepaldi

Além de esbanjar alegria e samba no pé, os carnavalescos precisam seguir regras rígidas que serão analisadas por uma comissão julgadora. No desfile do Rio, o maior do país, as escolas de samba são avaliadas por 40 jurados escolhidos pelo presidente da Liga Independente das Escolas de Samba. Esse jurados são divididos em grupos de quatro para cada um dos dez quesitos avaliados.

Além do júri, quatro comissões espalhadas pela avenida verificam o andamento das apresentações. Os problemas detectados pelas comissões que acompanham a concentração (início) e a dispersão (final) do desfile não acarretam perda de pontos, mas multa em dinheiro. Se os sambistas demorarem mais de 2 horas e meia de tempo total na avenida, por exemplo, a comissão de dispersão pode recomendar uma multa de até 45 mil reais. Outras duas comissões, que cronometram o desfile em si e verificam o cumprimento das regras, são mais temidas: elas reportam as irregularidades encontradas ao presidente da Liga, que decide se a escola deve ou não perder pontos.

Atualmente, as notas dos jurados são fracionadas em decimais de 0,1 ponto e variam de 7 a 10. Segundo o presidente da Liga, Ailton Guimarães Jorge, assim a apuração fica mais emocionante – e justa, pois diminuem as chances de empate.

As regras determinam, entre outras coisas, que o desfile deve durar de 65 a 80 minutos (desconta-se 0,2 ponto por minuto a mais ou a menos). A bateria tem de ter pelo menos 200 ritmistas e a ala das baianas, 100 integrantes (a escola perde meio ponto em cada quesito se esses números forem menores). Devem desfilar de cinco a oito carros alegóricos e a comissão de frente precisa ser composta por dez a 15 pessoas (mais ou menos que isso vale 1 ponto a menos em cada item).

Uma falta grave é desobedecer o item que proíbe mestre-sala, porta-bandeira, mestre de bateria, puxador e comissão de frente de participar de outro desfile, mesmo fora do estado. A mancada pode tirar até 2 pontos da agremiação e suspender o infrator por três anos.

Manobra na avenida

Bateria estacionaenquanto o samba passa

Recuo da bateria

Sem parar a música e comandada pela rainha da bateria, os ritmistas marcham para fora da avenida. Esperam de lado as alas de trás passarem e voltam para o desfile. O recuo não é obrigatório, mas poucas escolas abrem mão desse recurso importante para manter a harmonia

O que o júri vê

Saiba como cadaquesito é avaliado

SAMBA-ENREDO

Na letra, avaliam-se a adequação da letra ao enredo e a adaptação à melodia, entre outras coisas. Para dar nota à música, alguns critérios são as características rítmicas e a riqueza melódica

ALEGORIAS E ADEREÇOS

Alegorias são elementos cenográficos sobre rodas – os carros alegóricos. Adereços são objetos carregados pelos sambistas. As notas dependem da adequação ao enredo, da beleza e dos materiais usados

BATERIA

É observada a manutenção da cadência da bateria, além da harmonia dos sons dos instrumentos. Geralmente, os instrumentos leves (tamborim, agogô, pandeiro, cuíca) vêm na frente dos pesados (caixas e surdos)

HARMONIA

Verifica-se se os integrantes da escola acompanham o puxador do samba. Uma falha comum é o “atravessamento do samba”, quando partes da escola cantam trechos diferentes da música

CONJUNTO

Como o nome diz, o desfile é avaliado como um todo. Os jurados avaliam o entrosamento entre as linguagens musical, dramática e visual, além da coesão do desfile

FANTASIAS

Os critérios são parecidos com os de alegorias e adereços. Ainda conta a uniformidade dos detalhes (sapatos, chapéus) nas alas. Se um sambista destoar dos colegas, a escola é punida

EVOLUÇÃO

Penalizam-se correrias e retrocessos que atrapalhem a fluência do desfile. A uniformidade nos espaços entre as alas e as alegorias também é importante

MESTRE-SALA E PORTA-BANDEIRA

É obrigação do mestre-sala cortejar a porta-bandeira, proteger e apresentar o estandarte da escola. A porta-bandeira comete falha grave se, em meio à coreografia, terminar com a bandeira enrolada em seu próprio corpo

ENREDO

São analisados o texto escrito e a seqüência de alas, grupos e alegorias, para que haja um entendimento satisfatório do tema. A criatividade é um fator muito considerado no julgamento desse quesito

COMISSÃO DE FRENTE

Deve saudar o público e apresentar a escola. É obrigatória a exibição em frente às cabines de julgamento. Valem nota a coordenação de movimentos e a indumentária