GABRILA65162183544miv_Superinteressante Created with Sketch.

Conheça a história de “Cem Anos de Solidão”, que vai virar série na Netflix

A obra-prima de Gabriel García Márquez é uma das mais importantes da América Latina, mas o escritor nunca permitiu que ela fosse adaptada... Até agora.

Na última quarta (6), a Netflix anunciou que vai transformar em série o livro Cem Anos de Solidão, obra-prima do escritor colombiano Gabriel García Márquez lançada em 1967 e um dos romances mais importantes da América Latina.

O serviço de streaming conseguiu o que Márquez negou durante anos: uma adaptação da obra, lançada em 1967. Vai ser a primeira vez que a história ganha uma versão audiovisual. Os filhos do escritor, Rodrigo e Gonzalo García, aceitaram a proposta da empresa e atuarão como produtores executivos da série, que será gravada na Colômbia e falada em espanhol.

O idioma original na adaptação era uma exigência do próprio escritor. Segundo o jornal The New York Times, a Netflix já havia tentando comprar os direitos da obra, e só conseguiu convencer a família de Márquez após os sucessos de Narcos Roma, produções faladas em espanhol e que retratam a cultura latina.

Qual é a história do livro?

Cem Anos de Solidão possui mais de 50 milhões de exemplares vendidos e já foi traduzido para 46 línguas diferentes. O livro se passa no vilarejo fictício de Macondo (que muita gente acredita ser inspirado na terra natal de Márquez, Aracataca) e acompanha a longa trajetória da família fundadora da cidade, os Buendía.

A história é construída a partir do realismo fantástico, corrente literária que mescla realidade com elementos mágicos e que é particular à literatura latino-americana.

Márquez, vencedor do Nobel de Literatura em 1982, constrói uma complexa árvore genealógica de personagens: são sete gerações da família Buendía e uma porção de nomes repetidos. Mais de 30 dos nomes usados pelo autor na obra aparecem mais de uma vez. São 20 (vinte!) Aurelianos e mais um bocado de José Arcádios. Haja memória e concentração do autor para lembrar quem é quem.

Nada, claro, é por acaso: a repetição de nomes e de características conforme as gerações avançam dão a impressão de uma narrativa cíclica. Cada membro da família tem o seu destino traçado com base na sua origem – condição que representa os problemas da América Latina que Márquez quis retratar.

A saga para publicá-lo

A história da publicação de Cem Anos renderia facilmente outro livro. Tudo começou em 1965, quando Márquez e sua esposa, Mercedes Barcha Pardo, se mudaram da Colômbia para o México. O escritor, que havia trabalhado a vida toda em jornais, queria dedicar um semestre para escrever o romance.

No entanto, o plano não deu muito certo. Márquez precisou do triplo de tempo para terminar a obra, o que deixou o casal apertado em dívidas. Para piorar a situação, nenhuma editora mexicana ou colombiana manifestou interesse em publicar o livro.

A salvação só aconteceu em Buenos Aires, onde a empresa Sudamericana, decidiu investir no romance, que foi impresso em maio de 1967. Na época, a capital argentina era um importante polo cultural, e Cem Anos de Solidão acabou repercutindo na Europa e nos EUA.

O sucesso foi imediato, sobretudo na América Latina. Reza a lenda que a primeira remessa de exemplares enviada para a Colômbia mal chegou às livrarias. Ao chegarem no país, os funcionários da alfândega aceleraram o processo de importação e compraram todas as cópias que chegaram por lá.

Apelidado carinhosamente de Gabo, Márquez, que morreu em 2014, foi um dos responsáveis por difundir a cultura latina para o mundo. Fazer uma adaptação à altura do seu legado é o desafio que a Netflix precisará cumprir.

Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s