GABRILA65162183544miv_Superinteressante Created with Sketch.

Jerry Lewis: Caixa de risadas

Marcel Plasse

Com Jerry Lewis é ame-o ou deixe-o. A crítica americana o considera pueril e superficial. Mas os franceses da revista Cahiers du Cinéma o chamam de gênio. Virou piada referir-se ao gosto francês lembrando que “eles gostam de Jerry Lewis”. Justiça seja feita: ele era um autor completo, que escrevia, dirigia, produzia e estrelava seus filmes. Sim, seu humor era caricato e infantil, mas tinha subtextos que o colocavam na vanguarda da crítica cultural. Esses seis DVDs são bons exemplos. A coleção abre com o primeiro filme solo de Lewis após o fim da parceria com Dean Martin. Os dois já não se falavam havia anos. Lewis achava Martin preguiçoso e Martin não suportava mais as piadas do parceiro. Solo, Lewis assumiu a função de produtor, optando por temas sérios, como a delinqüência juvenil em O Delinqüente Delicado. Mas a virada veio quando a Paramount precisou de um hit e pediu que Lewis inventasse algo. Surgiu O Mensageiro Trapalhão, que rendeu milhões e lhe deu carta branca. De imediato, veio uma crítica ao cinema, O Mocinho Encrenqueiro, assunto retomado em O Otário, sobre a indústria fonográfica. Mas foi com O Terror das Mulheres e O Professor Aloprado que ele celebrizou seu tema favorito: a fragilidade masculina. No primeiro, Lewis tem o coração partido, mas vive cercado de mulheres. No segundo, é um professor tímido não correspondido no amor. Então, cria uma poção para ficar atraente. Essa variação de O Médico e o Monstro alfineta Dean Martin, com quem Lewis fica parecido após tomar o remedinho. É o único a sair em DVD duplo.

COLEÇÃO JERRY LEWIS

Direção: Jerry Lewis e Don McGuire

Estados Unidos, 1956-63, 630 minutos, R$ 39,90 cada, O Professor Aloprado, R$ 59,90