GABRILA65162183544miv_Superinteressante Created with Sketch.

O que é ser cidadão?

O livro trata do processo histórico que levou o Ocidente a conquistar esses direitos, assim como dos passos que ainda faltam para integrar os que ainda não são cidadãos plenos.

Celso Miranda

A pergunta aparece na primeira página de História da Cidadania (Contexto), na introdução assinada pelo historiador Jaime Pinsky, organizador do volume junto com Carla Bassanezi Pinsky. A resposta será dada em cada uma das mais de 580 páginas da obra. O direito à vida, à liberdade, à propriedade, à igualdade perante a lei, ou seja, os direitos civis são apresentados como o ponto de saída. Mas cidadania não se resume a isso. É também participar dos destinos da sociedade e ter direitos políticos. O livro trata do processo histórico que levou o Ocidente a conquistar esses direitos, assim como dos passos que ainda faltam para integrar os que ainda não são cidadãos plenos.

Sonhar com cidadania plena em uma sociedade pobre, em que o acesso aos bens e serviços é restrito, seria utópico. Mas esse não é um livro de sonhos e os autores nos mostram que, se os avanços da cidadania têm a ver com a riqueza do país e a sua divisão, dependem também da ação concreta dos indivíduos. Por isso, apesar de reunir grandes nomes e especialistas nas áreas que pretendem avaliar, como o filósofo Leandro Konder e o economista Paul Singer, o livro não se limita a sugerir explicações. Mais que isso – e só os grandes o conseguem –, propõe que o leitor faça essa reflexão e chegue às suas próprias conclusões. Subsídios para isso não faltarão.