Clique e Assine a partir de R$ 12,90/mês

Quem é America Chavez, que aparece em “Doutor Estranho No Multiverso da Loucura”

O filme, dirigido por Sam Raimi, estreia nesta quinta (5). Veja (sem spoilers) a origem da personagem, criada nos quadrinhos em 2011 – e que está diretamente ligada ao multiverso.

Por Rafael Battaglia Atualizado em 9 Maio 2022, 18h31 - Publicado em 5 Maio 2022, 15h43

Os fãs da Marvel têm motivo de sobra para comemorar nesta semana. Na quinta (5), chega aos cinemas Doutor Estranho No Multiverso da Loucura, continuação do filme de 2016 estrelado por Benedict Cumberbatch. O filme traz personagens do longa anterior, como os magos Wong (Benedict Wong) e Mordo (Chiwetel Ejiofor), e também Wanda Maximoff (Elizabeth Olsen), que assumiu definitivamente o posto de Feiticeira Escarlate na série Wandavision (2021).

Não só. Quem comanda o filme é Sam Raimi, diretor da primeira trilogia do Homem-Aranha. Ele foi escolhido não apenas pela sua experiência com super-heróis, mas também para trazer elementos de terror e suspense ao filme, que mergulhará no conceito do multiverso, com versões alternativas (algumas delas, assustadoras) dos personagens. Antes do Aranha, Raimi fez fama com Uma Noite Alucinante: A Morte do Demônio (1981) e outros filmes do gênero.

Mas em meio a tantas figuras conhecidas, um novo nome chama a atenção: America Chavez, heroína criada em 2011 nos quadrinhos e que aqui faz a sua estreia no Universo Cinematográfico da Marvel (o MCU). Vamos conhecê-la.

Cena de Doutor Estranho no Multiverso da Loucura, com America Chavez e Doutor Estranho.
Disney/Reprodução

Do começo

Nos quadrinhos da Marvel, existe um lugar chamado Utopian Parallel (algo como “Paralelo Utópico”), uma dimensão fora dos limites do tempo e do próprio multiverso. É lá que a história de America começa.

Amalia e Elena Pacoso Chavez eram pesquisadoras que trabalhavam em uma cura para uma rara doença genética que acometia America e sua irmã, Catalina. Desesperadas, elas aceitam participar de um tratamento experimental em uma unidade de pesquisa do Utopian Parallel chefiada pelo magnata Sr. Gates.

O que elas não sabiam é que Gates, secretamente, usava magia interdimensional do Demiurgo, uma força cósmica. Temendo que suas filhas se machucassem, o casal tentou resgatar America, Catalina e as outras crianças que estavam no centro de pesquisa. Mas acabaram morrendo.

Sem querer, America usou suas habilidades recém-adquiridas, vindas da energia do Demiurgo, e criou um portal para escapar (Catalina não conseguiu acompanhá-la). A garota foi parar no bairro de Washington Heights, em Nova York, e foi acolhida por uma família, os Santana. Sem memórias do que havia acontecido em Utopian Parallel, a jovem passou a acreditar que vinha de uma outra dimensão, onde suas mães eram princesas.

Quais são os seus poderes?

Cena da HQ de America Chavez.
Marvel Comics/Reprodução

America Chavez possui super força e super velocidade, além de conseguir voar. Mas sua maior habilidade é a capacidade de conjurar portais, através dos quais ela viaja no tempo e no multiverso.

Continua após a publicidade

Quando ficou mais velha, America entrou para a Brigada Juvenil (Teen Brigade), um grupo aliado dos Vingadores. Ela se juntou também aos Vingadores da Costa Oeste e engatou um romance com Alloy, outra heroína do grupo.

Mais tarde, America reencontrou a irmã, Catalina, que contou a verdade sobre o seu passado em Utopian Parallel. Ela ainda ingressou na Sotomayor, uma universidade interdimensional (pois é).

Vale dizer que Chavez não é a primeira a usar a alcunha de Miss America. A primeira personagem com esse nome foi Madeline Joyce, heroína criada em 1943, quando a Marvel ainda se chamava Timely Comics. Mas não tinha nada a ver: Madeline era uma terráquea, sobrinha de um milionário e que ganhou os poderes (força, velocidade, resistência) após um acidente no meio de uma tempestade elétrica.

No cinema

America Chavez em cena do filme Doutor Estranho no Multiverso da Loucura.
Disney/Reprodução

Em Multiverso da Loucura, quem interpreta America Chavez é a atriz canadense Xochitl Gomez, de 16 anos. Antes do filme, ela ficou conhecida pela série O Clube das Babás, da Netflix.

De acordo com Sam Raimi, a ideia inicial da Marvel era apresentar a personagem em Homem-Aranha: Sem Volta Para Casa (2021), que também lida com o multiverso. Mas acabou ficando para Multiverso da Loucura.

Compartilhe essa matéria via:

(A produção do novo Doutor Estranho, vale dizer, foi conturbada. Scott Derrickson, diretor do primeiro filme, abandonou a continuação por diferenças criativas. Em 2020, Michael Waldron, criador da série Loki, foi chamado para escrever o roteiro ao lado de Raimi – e os dois reescreveram toda a história. Até o começo de 2022,o longa ainda estava passando por refilmagens.)

Como uma heroína latina e LGBTQIA+, Chavez traz uma representatividade importante ao MCU. “Esses são aspectos importantes da personagem nos quadrinhos, e nosso desejo sempre foi adaptar isso da forma mais verdadeira possível”, disse Kevin Feige, presidente do Marvel Studios, durante coletiva de imprensa realizada no domingo (1).

Feige ressaltou que, apesar da importância, esse lado da personalidade de America não será a única coisa que irá defini-la. “Afinal, ela é uma garota passando por algo muito traumático da sua vida: descobrir que pode viajar pelo multiverso.”

No filme, America terá 14 anos – menos do que normalmente é descrito nos quadrinhos. “Esse é um filme muito adulto, bem pesado em certos momentos”, disse Xochitl. “Eu quis me assegurar que a America, mesmo em meio a tudo o que estava acontecendo, mantivesse a sua juventude e resiliência.”

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Transforme sua curiosidade em conhecimento. Assine a Super e continue lendo

Impressa + Digital

Plano completo da Super! Acesso aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias e revista no app.

Acesso ilimitado ao Site da SUPER, com conteúdos exclusivos e atualizados diariamente.

Receba mensalmente a SUPER impressa mais acesso imediato às edições digitais no App SUPER, para celular e tablet.

a partir de R$ 19,90/mês

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos no site e ter acesso a edição digital no app.

Acesso ilimitado ao Site da SUPER, com conteúdos exclusivos e atualizados diariamente.

App SUPER para celular e tablet, atualizado mensalmente.

a partir de R$ 12,90/mês