Clique e assine a partir de 8,90/mês

Show ao vivo de artista morto

O rapper Tupac Shakur foi ao palco neste ano apresentar-se para 85 mil pessoas na Califórnia. Detalhe: Tupac morreu em 1996. A ressureição foi uma holografia. Ou quase, fãs de Star Wars. Diferentemente de um holograma, a animação teve apenas duas dimensões. Qual o truque? Projetá-la numa película quase invisível, no meio do palco, fazendo um duo com seu amigo vivo Dr. Dre.

Por Da Redação - Atualizado em 31 out 2016, 18h53 - Publicado em 9 set 2012, 22h00

Bruno Romani, Maurício Horta, Rabisco Estúdio

1. Animação póstuma
Do corpo atlético aseus movimentos, toda a animação foi gerada a partir de fotos e vídeos de arquivo pela empresa Digital Domain, de forma semelhante ao personagem de Brad Pitt em O Curioso Caso de Benjamin Button.

2. Projetores
No topo do palco – e bem fora do campo de visão da plateia – 3 projetores trabalham em sincronia, disparando as imagens para o mesmo ponto, abaixo do palco. A ideia é turbinar a projeção.

3. Espelho
Deitado no chão, uma superfície refletora recebe a projeção e a rebate em direção ao palco.

4. Película
Um filme de plástico PET é posicionado no palco num ângulo de 45º em relação à plateia. Ela recebe o reflexo vindo do espelho no chão e dá vida ao falso holograma.

5. Quase invisível
A película de 10 m de largura por 4 m de altura tem espessura de 1 micrômetro (um fio de cabelo tem espessura de 70 micrômetros).

6. Fundão
A imagem na película tem duas dimensões. Mas um truque simples dá a impressão de ser 3D: ela é instalada na frente dos outros músicos, que permanecem visíveis. Isso dá profundidade de campo.

Já rolou antes
O mesmo tipo de projeção já aconteceu no passado. Em 2011, Mariah Carey se apresentou em 5 lugares ao mesmo tempo. Em 2006, a banda de desenho animado Gorillaz tocou com Madonna no Grammy. A grande diferença: ninguém estava morto.

Fontes Av Concepts, Digital Domain, Musion Systems e UAU Mídia.

Continua após a publicidade
Publicidade