GABRILA65162183544miv_Superinteressante Created with Sketch.
Saúde

Ai, que suor!

*

A transpiração não precisa incomodar. Existem formas de lidar com os contratempos, principalmente o mau cheiro. Prepare-se para entender tudo sobre esse tema

Todo mundo ao menos uma vez na vida se importou com o suor. Você provavelmente já pensou que seria muito melhor se nosso corpo não liberasse esse líquido desagradável. Pois saiba que, na verdade, o suor é um grande aliado. Ele regula a temperatura do organismo, e assim impede que, num dia quente, num momento de estresse ou durante uma corrida, o calor cozinhe alguns órgãos e comprometa a saúde.

Mas, se o suor é um parceiro tão importante, por que ninguém gosta dele? Acontece que existem muitos mitos a respeito desse assunto tão importante. Por exemplo: o suor em si não fede – o cheiro ruim aparece depois, no contato do suor original com as bactérias e os fungos que habitam algumas regiões da nossa pele. Vamos entender melhor como ele é produzido, e de que forma é possível tratar os inconvenientes que ele traz.

Como o suor funciona?

Entenda por que, de repente, uma pessoa começa a suar

-

(Magenta King Ilustração/Divulgação)

1. Existem vários motivos para a temperatura corporal aumentar (veja na seção Por que você sua?). Assim que isso acontece, nosso organismo inicia um procedimento padrão. O hipotálamo, uma região da parte central do cérebro que coordena as glândulas e regula nosso sono e nosso apetite, dispara um alerta.

2. Rapidamente, parte do sangue se desloca para a região próxima da pele. Dessa forma, a troca de calor com o ambiente fica mais fácil. É por isso que muita gente fica com o rosto vermelho no calor: é que a circulação sanguínea se deslocou para a superfície do corpo a fim de facilitar o resfriamento.

3. Em paralelo, as glândulas sudoríparas começam a trabalhar. São pequenos canais de 5 milímetros de comprimento, distribuídos por toda a pele dos mamíferos em geral – ou seja, seu gato também sua. Essas glândulas estão em todo o corpo, mas se concentram em algumas regiões específicas: cabeça, axilas, mãos, virilhas e pés.

4. Ao chegar à pele, a água lançada pelas glândulas evapora. E assim o corpo cede energia para o ambiente. Esse processo continua até que o motivo que aumentou a temperatura do corpo vá embora. Por isso mesmo, um atleta de alto desempenho precisa ingerir muita água, para manter a produção de suor sem prejudicar outros órgãos durante a atividade física.

Perguntas quentes

Seis respostas para as dúvidas mais comuns sobre o assunto

Qual a diferença entre glândulas sudoríparas apócrinas e écrinas?

As écrinas estão distribuídas por todo o corpo e são ativas desde que nascemos. O suor que elas exalam não tem cheiro, porque é composto basicamente por água e sais minerais. Já as apócrinas ficam concentradas em algumas áreas específicas do corpo, como a virilha, o couro cabeludo e as axilas. São ligadas a regiões com pelos e secretam um suor que contém lipídios e aminoácidos.

De onde vem o mau cheiro?

O suor produzido pelas glândulas apócrinas é mais viscoso e serve como um ótimo alimento para as bactérias e os fungos que habitam nossa pele. O resultado dessa refeição é o mau-cheiro, que tem nome médico próprio: bromidrose. Quando o odor vem das axilas, chama-se bromidrose axilar. Quando vem dos pés, é conhecido como bromidrose plantar.

Por que suamos tanto em lugares escondidos do corpo?

O que as axilas, a virilha e o cabelo têm em comum? Pelos. As glândulas que provocam o mau cheiro se concentram em regiões com pelos. No caso do pé, o problema é outro: os fungos e bactérias aproveitam o ambiente fechado por meias e sapatos para se multiplicar. Quando eles digerem o suor, produzem um composto chamado metanotiol – que também é emitido quando as bactérias atacam alguns tipos de queijo. Por isso o cheiro do chulé lembra queijo.

Por que bebês não suam nas axilas nem nos pés?

Porque as glândulas apócrinas só se desenvolvem a partir da puberdade. Antes disso, só funcionam as glândulas écrinas, que não provocam suor fedido. Por isso é que só na adolescência as axilas começam a cheirar mal.

Homens suam diferente das mulheres?

Sim, principalmente porque homens têm muito mais pelos, e portanto mais glândulas apócrinas. Mas o aroma do suor também é determinado por vários outros fatores, em especial o uso de medicamentos, o tipo de alimentação e o consumo excessivo de álcool. O suor dos diabéticos também é diferente.

Qual é a diferença entre desodorante e antitranspirante?

Os antitranspirantes são produtos que reduzem a produção de suor. Fazem isso utilizando sais de alumínio, que formam uma camada protetora sobre a pele e, assim, diminuem a quantidade de suor lançada para a superfície. Existem antitranspirantes, como o Rexona Antibacterial Protection, que também atacam as bactérias presentes na pele, e assim diminuem a quantidade de microorganismos dispostos a digerir o suor e produzir o odor. Já o desodorante comum não reduz a quantidade de suor: ele apenas trata do mau cheiro.

Números curiosos

Dados impressionantes sobre o mecanismo de controle de temperatura

-

(Estúdio ABC/Divulgação)

Por que você sua?

Existem quatro motivos principais, bem diferentes uns dos outros

-

(Magenta King Ilustração/Divulgação)

Por nervoso

O estresse provoca a aceleração dos batimentos cardíacos e da circulação de sangue no organismo. Por consequência, a temperatura do corpo aumenta, e o hipotálamo corre para fazer seu trabalho de contenção. É por isso que, mesmo no ambiente mais gelado, uma executiva pode suar na hora de fazer uma apresentação para um cliente especialmente difícil.

Por exercício físico

Quanto mais intensa, ou longa, a atividade física, maior a quantidade de suor produzida – por isso mesmo, além de cuidar da hidratação e de uma toalhinha para secar o rosto constantemente, é muito importante utilizar um bom desodorante antitranspirante para evitar situações desagradáveis na academia.

Por calor

Nosso corpo interage com o ambiente constantemente. Por isso, em lugares mais quentes, a produção de suor é muito maior, naturalmente. É mais um caso em que o cuidado com o uso de desodorantes antitranspirantes é fundamental para evitar constrangimentos com roupas excessivamente úmidas e mau cheiro no corpo.

Por disfunção

Existem pessoas que transpiram em excesso, uma condição conhecida como hiperidrose. Elas estão sempre com as mãos úmidas e manchas de suor nas roupas. É uma doença que afeta a saúde, na medida em que a pessoa precisa redobrar os cuidados com a hidratação, mas também prejudica a vida social e profissional.

Bem-vindo ao novo Rexona Clinical Aerosol

Para quem não quer se preocupar com o suor, acaba de chegar ao mercado uma opção de antitranspirante supertecnológico. Conheça agora essa nova fórmula

O novo Rexona Clinical Aerosol traz a tecnologia Defense+, ativo antitranspirante que forma uma blindagem para combater a transpiração de forma três vezes mais eficaz

O novo Rexona Clinical Aerosol traz a tecnologia Defense+, ativo antitranspirante que forma uma blindagem para combater a transpiração de forma três vezes mais eficaz (Magenta King/Divulgação)

Suar de nervoso, de calor, durante a malhação ou por causa de alguma disfunção, o importante é contar com um aliado que garanta proteção e autoconfiança no dia a dia. É por isso que a escolha do antitranspirante faz toda a diferença, eles não são todos iguais. E, agora que você já entende tudo sobre transpiração, vai entender por que o novo lançamento de Rexona representa uma grande revolução tecnológica na categoria de desodorantes. O Rexona Clinical, já conhecido pela performance três vezes mais potente que a dos demais antitranspirantes do mercado, acaba de chegar às prateleiras na versão aerosol, a preferida dos consumidores brasileiros.

O novo Rexona Clinical em formato Aerosol

O novo Rexona Clinical em formato Aerosol (Rexona Clinical/Divulgação)

Fórmula potente

O novo formato é resultado do desenvolvimento de uma tecnologia inédita, chamada Defense+, e patenteada por Rexona, que oferece três vezes mais proteção contra o suor em comparação com os antitranspirantes comuns. E o mais importante: essa superioridade não é só técnica. A marca validou a inovação com os consumidores em um extenso teste quantitativo, no qual 91% deles afirmam que o novo Rexona Clinical Aerosol é o antitranspirante aerossol com a melhor proteção contra a transpiração excessiva e o mau odor.

*

*

*

Fontes: Live Science (https://www.livescience.com/59254-facts-about-sweating.html), Universidade Harvard (https://college.harvard.edu/speed-sweat-and-stamina-how-animals-are-adapted-run), Universidade Federal do Rio Grande do Sul (http://www.ufrgs.br/livrodehisto/pdfs/11Tegumen.pdf ), Unicamp (https://www.unicamp.br/unicamp/noticias/2014/05/23/especialistas-alertam-para-o-uso-seguro-de-desodorantes ), Estudo Chemosensory Cues to Conspecific Emotional Stress Activate Amygdala in Humans (https://journals.plos.org/plosone/article?id=10.1371/journal.pone.0006415), Rexona (https://www.rexona.com/br/Inovacoes/rexona-clinical.html)