GABRILA65162183544miv_Superinteressante Created with Sketch.

A história da terra

Essa extinção em massa, conhecida como a do fim do Permiano, foi muito pior do que a que acabou com os dinossauros.

Denis Russo Burgierman

Há quase cinco bilhões de anos, uma estrela explodiu num canto da Via Láctea espalhando poeira pelo espaço. A gravidade começou a juntar os grãos de poeira em pedaços cada vez maiores. Assim surgiu o planeta Terra.

Há 3,5 bilhões de anos, da massa de moléculas inanimadas de carbono surgiu a vida. Parece milagre mas é pura química. O planeta, então, era freqüentemente bombardeado por meteoros, restos da explosão inicial

1. De tempos em tempos, a vida na Terra sofre um grande golpe e ocorre uma extinção em massa. Foi assim há meio bilhão de anos, quando boa parte dos seres sumiu de repente. Pouco se sabe sobre a tragédia – mas a prova de que ela aconteceu são as conchas fossilizadas de animais marinhos, cuja diversidade teve uma brusca redução

2. Há 230 milhões de anos ocorreu outra grande extinção. Das espécies marinhas, 96% simplesmente sumiram. Algumas teorias especulam que grandes erupções vulcânicas provocaram isso. Essa extinção em massa, conhecida como a do fim do Permiano, foi muito pior do que a que acabou com os dinossauros

3. A culpa pela extinção em massa que assolou o planeta há 65 milhões de anos, matando os dinossauros, geralmente é atribuída a um meteoro, embora ainda haja dúvidas. Paradoxalmente, o cataclisma foi um impulso para a vida: abriu espaço para que outras espécies se desenvolvessem. Fenômeno parecido aconteceu em outras grandes extinções

4. Vivemos hoje outra imensa extinção em massa, esta com uma causa bem diferente das outras: a ação humana. Centenas de espécies somem todos os dias por causa da perda de hábitats, principalmente nas florestas tropicais. O homem já é a maior força transformadora do planeta, superando tempestades, furacões e terremotos

3 bilhões

As células se espalham pela Terra. Mas o processo é lento, devido aos meteoros. O planeta, ainda novo, guarda o calor da explosão estelar e, por isso, seu interior quente vive vazando por vulcões. Outro problema são os tórridos raios solares

2 bilhões

A agitação cósmica e geológica foi aos poucos diminuindo, enquanto o planeta esfriava. Forma-se a camada de ozônio, que torna os raios solares menos nocivos e permite o surgimento de formas de vida mais complexas

1 bilhão

Aparecem células mais complicadas, as chamadas eucariontes, que possuem todas as organelas. A vida vai, aos poucos, tomando o planeta, protegida do Sol pela camada de ozônio. Os meteoros são cada vez mais raros

600 milhões

Surgem os primeiros organismos multicelulares – todos invertebrados. A variedade de vida aumenta de uma maneira impressionante. Os oceanos se povoam com os seres mais estranhos

400 milhões

Há 350 milhões de anos, os vertebrados saem do mar – surgem os anfíbios. Todos os continentes estão unidos em um só grande bloco – a Pangéia, que começa a ser habitada por muitas plantas primitivas

300 milhões

Os répteis aparecem há 300 milhões de anos e, em seguida, tomam o planeta. Os primeiros dinossauros passam a ser vistos em todos os continentes. Os insetos também se diversificam muito

200 milhões

Há 200 milhões de anos surgem os mamíferos – então não muito mais que ratinhos insignificantes com características de répteis. A Terra ainda é dos dinossauros. Outra inovação: as plantas ganham flores

100 milhões

Com a extinção dos dinossauros, há 65 milhões de anos, sobra espaço para os mamíferos. Eles se tornam maiores e mais diversificados e herdam o trono do planeta. As aves também se espalham

Hoje

Surge o homem – há apenas 100 000 anos, insignificantes para a história do planeta. A nova espécie altera a Terra como nenhuma antes