Clique e Assine a partir de R$ 12,90/mês

Amigos de fé

Não importa sua origem, todo xamã costuma invocar, em seus rituais, os espíritos do mundo animal e vegetal

Por Alessandro Meiguins, Vitor Shin Atualizado em 3 nov 2016, 17h18 - Publicado em 31 mar 2002, 17h09

+ O que é xamanismo?

Norte-americano

Xamanismo: norte-americano

Suas principais práticas são a inipi (“tenda do suor”, sauna indígena à base de pedras escaldantes ) e a “busca da visão” – peregrinação em jejum e isolamento. Entre seus “animais de poder” destacam-se o coiote e a águia que, encarnados pelo mago, transmitem ensinamentos à tribo. A “planta de poder” mais comum é o peiote, botão de cacto celebrizado pelos livros do antropólogo transformado em xamã Carlos Castañeda.

Sul-americano

Xamanismo: sul-americano

As plantas da floresta constituem o principal intrumento de cura e conhecimento dos xamãs amazônicos. Duas delas – o cipó Banisteriopsis caapi e o arbusto Psychotria viridis – se combinam na bebida ayahuasca (“vinho dos espíritos”), considerada a grande professora. O tabaco também é usado para afastar maus espíritos e os animais cultuados são a onça e a jibóia. Enquanto seus colegas da América do Norte usam tambores, seu instrumento é a maraca (chocalho de cabaça).

Continua após a publicidade

Aborígene

Xamanismo: aborígene

De acordo com os nativos australianos, a dimensão sobrenatural que governa nosso mundo é o chamado Tempo dos Sonhos. Para obter poder e conhecimento, os xamãs têm de viajar a esse universo paralelo e encontrar a Grande Serpente Arco-Íris, símbolo da fertilidade e da vida. Eles também possuem uma forte ligação com cavernas, acreditam entrar em contato com as forças dos reinos subterrâneos.

Esquimó

Xamanismo: esquimó

Os xamãs da região ártica usam máscaras de feições aterrorizantes para representar seu poder – capaz de transportá-los, em espírito, ao fundo do mar e atravessar o gelo até o submundo, onde resgatam a alma dos enfermos. Eles também invocam os espíritos dos animais que desejam caçar (baleias, morsas, caribus e ursos), para negociar a alimentação de sua aldeia.

Siberiano

Xamanismo: siberiano

Na região de onde vem a palavra “xamã”, o animal cultuado é a rena. Seu couro é utilizado na vestimenta de proteção contra ataques de espíritos malignos e na confecção do tambor, principal instrumento de poder dos magos curandeiros da Sibéria. Eles acreditam que a alma do animal sobrevive no tambor e pode guiá-lo em seus transes – muitas vezes induzidos com a ajuda do cogumelo alucinógeno Amanita muscaria.

Continua após a publicidade

Publicidade