GABRILA65162183544miv_Superinteressante Created with Sketch.

As conspirações da vida real

Forças ocultas, CIA nos bastidores, população envenenada: tudo isso aconteceu de verdade! Conheça conspirações que foram da teoria para a prática

HITLER ESCAPOU POR DOIS MINUTOS
onde e quando – Alemanha, 1943
conspiradores – Militares alemães
objetivo – Assassinar Adolf Hitler e negociar o fim da 2ª Guerra

Entre 1942 e 1945, o Führer foi alvo de 29 atentados. Ou melhor: 30. Houve um complô com ares de lenda só confirmado recentemente. Em 1943, com a guerra indefinida, gente do alto comando alemão já tentava matar Adolf Hitler. A oportunidade surgiu com uma visita do líder a um armazém de armas – seu guia seria um coronel conspirador. No dia marcado, Rudolf von Gertsdorff escondeu nos bolsos dois explosivos, e, assim que o líder alemão entrou no prédio, acionou-os para detonar em 10 minutos. Na hora certa, ele iria se jogar sobre Hitler em um ataque suicida. O führer começou a visita andando tranquilamente, mas, após 3 minutos, ficou agitado e apertou o passo. Passaram mais 5 minutos e Hitler foi embora às pressas, sem explicações. O conspirador só teve tempo de correr ao banheiro, desativar as bombas e jogá-las na privada. “Dizia-se que Hitler tinha um sexto sentido para o perigo”, afirma Roger Moorhouse, autor de Quero Matar Hitler. Adolf acabaria cometendo suicídio em um bunker nos arredores de Berlim, em 1945.

CIA DEPÔS PRESIDENTE DO CHILE
onde e quando – Chile, 1973
conspiradores – Agentes da CIA
objetivo – Derrubar o governo do presidente Salvador Allende

Neste caso, valem todos os clichês das teorias da conspiração. A CIA manipulou a opinião pública, deu dinheiro e suporte militar a grupos contrários ao presidente eleito e ajudou a arquitetar um ataque militar direto contra o presidente de um país estrangeiro. O resultado foi a deposição e morte do polêmico e impopular presidente do Chile, Salvador Allende, e sua substituição pelo ditador Augusto Pinochet, que ficou no poder até 1990. A princípio, a CIA seguiu a fórmula de sucesso que aplicava em outros países desde os anos 50: os espiões forneciam dinheiro, armas e treinamento a grupos oposicionistas alinhados com os EUA. Se desse errado, Washington negava. Mas, a partir da eleição de Allende, em 1970, a situação mudou. Sentindo que o governo socialista havia dividido o país radicalmente, o presidente Nixon deu ao chefe da CIA, Richard Helms, uma ordem clara: “Façam a economia gritar”. A CIA mandou pelo menos 30 agentes para orientar os oficiais liderados pelo general Pinochet – que se reuniu pessoalmente com americanos. O comandante do Exército chileno, René Schneider, avesso a golpes, foi assassinado pelos militares golpistas. Cercado por militares no palácio presidencial, Allende cometeu suicídio – um ataque final supervisionado pelo secretário de estado dos EUA Henry Kissinger.

DOM PEDRO 1º EM CHAMAS
onde e quando – Brasil, 1824
conspiradores – Políticos liberais
objetivo – Assassinar dom Pedro 1º

Em novembro de 1823, o primeiro monarca do Brasil perdeu a paciência com a Assembleia Constituinte e resolveu fazer na marra sua própria Constituição. Aprovou sozinho o texto e, na noite do mesmo dia, foi com a família ao Real Teatro de São João. Ele não sabia, mas políticos liberais e republicanos não queriam que ele deixasse o local com vida. O plano lembra o filme Bastardos Inglórios: tocar fogo nas poltronas e aproveitar o caos para balear o imperador. A primeira parte deu certo – o princípio de incêndio realmente provocou o caos. Acontece que a família imperial foi rapidamente retirada e ninguém foi ferido. O atentado só veio a público depois da volta de Pedro para Portugal, em 1831. Enquanto liderou o país, o rei optou por abafar o caso e não procurar por culpados.

SALMONELA NAS ELEIÇÕES
onde e quando – EUA, 1984
conspiradores – Seguidores de Osho
objetivo – Impedir eleitores de votar

Em um único dia, 10 restaurantes da cidadezinha americana de Dalles, em Oregon, foram deliberadamente contaminados com salmonela, um tipo de bactéria que ataca o sistema digestivo. Foi o maior caso de terrorismo biológico da história americana, liderado por uma facção radical de seguidores do guru espiritual Osho, que tinha uma comuna na região. A ideia era impedir o eleitorado de sair do banheiro e chegar às urnas – enquanto isso, o pessoal do Osho compareceria e elegeria seus próprios candidatos. Deu certo: 751 degustadores de saladas contaminadas passaram mal, com 45 internações no hospital – ninguém morreu. Mas é claro que o caso chamou atenção, a investigação chegou aos culpados e as eleições foram suspensas. Dois líderes foram presos e cumpriram 29 meses de cana numa prisão de segurança mínima. Ah, nenhum dos candidatos do grupo foi eleito.

UMA DITADURA FASCISTA NA AMÉRICA
onde e quando – EUA, 1933
conspiradoresEmpresários, políticos e o avô de George W. Bush
objetivo – Derrubar o presidente e instalar um regime de direita

Se você acha que o gosto por golpes de Estado é coisa de sul-americano, preste atenção nesta história. Em 1933, um grupo de empresários dos EUA, incluindo os presidentes da GM, da Goodyear, do Chase Bank, da DuPont e da Standard Oil, começaram a se reunir para conspirar contra o presidente Franklin Roosevelt (1881-1945). O plano era derrubar o mandatário e transformar a América numa ditadura de orientação fascista. O líder da chamada American Liberty League era o senador Prescott Bush (1895-1972), pai de George H. Bush e avô de George W. Bush. O plano nunca saiu do nível das conversas porque o general Smedley Butler (1881-1940), convidado para arregimentar um grupo de 500 mil (!) veteranos a fim de atacar a Casa Branca, não só se recusou a participar como ameaçou denunciar o grupo.

Para saber mais
Quero Matar Hitler
Ediouro, 2009.