Clique e Assine a partir de R$ 12,90/mês

Como escapar de um míssil teleguiado

Saiba como os aviões podem escapar de um míssil teleguiado.

Por Da Redação Atualizado em 31 out 2016, 18h26 - Publicado em 28 fev 2007, 22h00

Texto de Carlos Bighetti

Ok, você não vai sentar no banco do piloto. Mas pode bem estar entre os passageiros: desde o ano 2000, são registrados em média 3 ataques contra aviões comerciais usando mísseis teleguiados. então leia com atenção. quem sabe um dia você não ajuda o piloto?

POR DENTRO DA ARMA

O sistema de navegação permite perseguições a qualquer objeto que emita ondas de rádio, calor ou tenha o laser apontado para ele.

1. O atacante aponta o míssil para o alvo. O sensor da arma busca o ponto de impacto e emite um alerta sonoro ao encontrá-lo.

2. Um toque no gatilho dispara o míssil.

3. O sistema de navegação traça um plano de vôo que é corrigido, automaticamente, de acordo com a movimentação do alvo.

MILITAR EM FUGA

Caças suportam diversas manobras evasivas para despistar o míssil: oscilações bruscas, loopings e mergulhos. De tão rápidas, elas literalmente tiram a aeronave da rota de ataque. Sem asas e flaps, o míssil não tem agilidade para alterar seu trajeto rapidamente.

DESAFIO CIVIL

Pesados e lentos – o que impede manobras ousadas –, jatos comerciais são presas fáceis. Os momentos de maior exposição são o pouso e a decolagem, quando voam lentos e baixos. É quase impossível um míssil errar o alvo nessas condições. Veja algumas saídas:

Continua após a publicidade

Empine o nariz

Subidas ultra-rápidas, com o motor em potência máxima. O problema: consomem muito combustível e impedem longas viagens.[

Encha o saco

Descidas generosas em espiral ajudam o avião a escapar… e enchem rapidamente os saquinhos de vômito!

Suma do mapa

Rotas aleatórias confundem terroristas. Mas deixam os controladores de vôo mais perdidos ainda e são inviáveis em grandes aeroportos.

AS SALVAÇÕES

Mas você ainda vai precisar esperar para elas estarem disponíveis no mercado…

1. “Fogos de artifício”: Inspirados nos rojões, desorientam o míssil ao criar falsos alvos no ar. O problema: a carga pode explodir dentro do avião.

2. Emissor de infravermelho: Um feixe de radiação é disparado na direção do míssil, interferindo no sistema de navegação.

3. Canhão de raio laser: Fixado no avião, engana o projétil ao determinar novos alvos a distâncias seguras. Mas o projeto custa US$ 100 bilhões!

Continua após a publicidade

Publicidade