GABRILA65162183544miv_Superinteressante Created with Sketch.

Conheça o pastor que usa cobras em seus cultos

Americano utilizava cobras para deixar seus cultos mais impressionantes. Até que algo deu errado

Um dia após completar 44 anos, Mack Wolford foi a um parque no Estado da Virginia Ocidental, no sul dos EUA, para comandar uma celebração da igreja em que era pastor. Como de costume, trouxe uma coisa para incrementar o culto: sua cobra cascavel de estimação, que ele tinha há vários anos. Em determinado momento, Mack pegou e manuseou a cobra – que é usada para ilustrar as previsões de Jesus no Evangelho de São Marcos (“Em meu nome expulsarão os demônios; falarão novas línguas; pegarão nas serpentes; e, se beberem alguma coisa mortífera, não lhes fará dano algum). Quando Mack colocou a cobra de lado, ela pulou – e o mordeu. Cerca de 10 horas mais tarde, depois de recusar ajuda médica, ele morreu.

Não é a primeira vez que algo do tipo acontece na Igreja do Senhor Jesus, onde Mack pregava. O pai dele, também pastor, morreu ao ser mordido por uma serpente. A prática de manusear cobras simboliza a confiança do homem em Deus, e foi inserida nos cultos de igrejas do sul dos EUA no início do século 20. “Elas também sugerem aos membros que bebam estricnina como demonstração de fé, o que pode provocar danos ao fígado”, critica o americano Rick Ross, que estuda religiões radicais. Os pastores costumam recusar assistência médica por acreditarem que a fé os torna imunes ao veneno.

A igreja onde Mack Wolford pregava não quis se pronunciar sobre o caso. Mas no site dela a prática continua sendo exibida com orgulho, junto de uma homenagem ao pastor. “Ele amava a palavra de Deus, e morreu seguindo o que a Bíblia dizia”.