Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês

Dá para aprender a ter sorte?

Nada de trevo, figa ou pé de pato mangalô 3 vezes. Ter sorte é uma capacidade que pode ser adquirida.

Por Isabela Noronha Atualizado em 21 ago 2017, 19h19 - Publicado em 31 jan 2006, 22h00

Nada de trevo, figa ou pé de pato mangalô 3 vezes. Ter sorte é uma capacidade que pode ser adquirida.

Essa é a conclusão de uma pesquisa do psicólogo inglês Richard Wiseman, da Universidade de Hertfordshire. Por 8 anos, Wiseman entrevistou 700 pessoas com idade entre 18 e 84 anos e pediu que elas respondessem a questionários sobre como se relacionavam com a sorte.

A partir das respostas, definiu um padrão de atitudes que as pessoas consideradas sortudas tomam. Então chegou para os voluntários e ensinou a cada um seus “4 princípios da sorte”. No fim da pesquisa, 80% dos voluntários disseram que, sim, ficaram mais sortudos depois das dicas. E aí? Quer tentar a sorte também?

4 princípios da boa fortuna

1. Aumente suas oportunidades. Segundo a pesquisa, pessoas com sorte agem em cima de todas as oportunidades que aparecem. Cada novo amigo pode significar uma porta aberta.

2. Ouça seus bons pressentimentos. Wiseman diz que gente com sorte costuma “confiar nas pessoas certas” por intuição.

3. Conte com a sorte. Só a expectativa de que o futuro vai ser bom já é suficiente para encorajar as pessoas a ter atitudes positivas. Acreditando que “tudo vai dar certo”, os sortudos ficam mais confiantes, sorriem mais, conversam mais. Quer dizer: ficam mais abertos a novas possibilidades.

4. Transforme o azar em sorte. Os sortudos são mais “Polianas” que a média: pensam que uma coisa ruim poderia ter sido pior. E, conclui Wiseman, aprendem com os erros.

Continua após a publicidade
Publicidade