Clique e Assine a partir de R$ 6,90/mês

Google Earth:estranhos entre nós

Um pássaro? Um fantasma? A Oprah? Não: são as imagens de satélite mais bizarras, inusitadas e misteriosas que aparecem no Google Earth.

Por Da Redação Atualizado em 31 out 2016, 18h28 - Publicado em 30 nov 2007, 22h00

Texto Nina Weingrill

Ets?

Nenhum ET foi registrado em foto de satélite. Até hoje. Mas os misteriosos círculos, que parecem marcas do trem de pouso de discos voadores, seguem aparecendo em plantações ao redor do mundo. Este ao lado apareceu em 2001, na Inglaterra. Além de imagens misteriosas, o Google Earth capta monumentos do mau gosto. No Arizona, um fazendeiro construiu um labirinto de 4 hectares em homenagem à apresentadora de TV americana Oprah Winfrey. Gosto não se discute.

Tá na cara

Vatnajökull é a maior massa de gelo da Islândia. A superfície tem mais de 8 mil quilômetros e a parte mais profunda alcança 1 000 metros. Mas na imagem 1 ela parece mais obra de vanguarda do movimento expressionista. Ou seria um fantasma de lençol branco e auréola na cabeça? Na cordilheira dos Andes (2), a face de um gato aparece quando a neve derrete. Meigo, não? Na foto 3, se uma montanha pudesse curtir um som, teria essa cara. O fio do fone de ouvido é uma estrada de verdade. E o parque nacional Vale da Morte (4), que fica na Califórnia, não ganhou o nome por acaso. A aridez do lugar irritou até a montanha ao lado, que ficou de cara feia.

Denúncia

Continua após a publicidade

1. Fotos aéreas ou de satélite são questão de segurança nacional. Podem ajudar terroristas ou denunciar novas instalações militares, como aconteceu com a China, que há tempos disputa áreas de fronteira com a Índia. A foto, na fronteira dos dois países, mostra galpões (em vermelho) ao lado de tanques de guerra (os pontos escuros). Seria um local de treinamento para uma provável invasão?

2. As florestas da Sibéria são conhecidas pelo perigo constante de incêndios provocados. Este acima aconteceu perto do mar de Bering e atingiu uma área de 18 quilômetros.

3. Não é um pedaço da superfície da Lua, mas do deserto de Nevada, o principal local de testes de bombas atômicas dos EUA. Cada cratera mostra o estrago de uma bomba estourada por ali.

Bizarro!

O lago vermelho no Iraque, ao lado, levanta suspeita. Seria um rio de sangue das batalhas com os soldados americanos? Na verdade, é resultado da poluição em Bagdá. Jardins imensos, quadra de tênis, piscina…tudo no meio do nada. Isso mesmo, a mansão milionária abaixo está situada no meio do deserto do Saara, na Líbia.

Vista grossa

Tiradas a 800 quilômetros do nível do mar, as fotos de satélite não são sempre representações precisas da realidade. É o caso do prédio em Dallas, Texas (1), que parece cumprimentar os dois outros prédios da frente. A mesma coisa acontece com outros dois prédios dos EUA (2), que parecem ir um em direção ao outro. “Acopladas a telescópios, as câmeras de alta resolução podem captar objetos pelo lado, distorcendo a imagem”, diz Oton Barros, engenheiro do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais. Já na Holanda (3) a garagem parece bem difícil de estacionar: na parede do prédio! E o avião fotografato na França (4) saiu duplicado. “É um fenômeno semelhante ao que ocasiona miragens no deserto. Com a refração da luz, uma camada com gotículas d’água acima da aeronave cria uma imagem ao lado da posicao real”, diz Oton Barros.

Continua após a publicidade

Publicidade