Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês

Gravações feitas em cilindros de cera serão ouvidas depois de um século

A Biblioteca Pública de Nova York vai digitalizar sua coleção de cilindros fonográficos – o primeiro meio comercial de gravação e reprodução de som. Entenda como eles funcionam.

Por Luisa Costa 29 abr 2022, 16h51

Muito antes dos streamings de música, dos CDs, das fitas cassete e dos discos de vinil, existiam… cilindros de cera. Eles foram revolucionários na década de 1890, pois permitiam que as pessoas gravassem os sons que quisessem e os reproduzissem a partir de um fonógrafo. 

Inventado por Thomas Edison em 1877, o fonógrafo foi o primeiro meio comercial para gravação e reprodução de som. Ele funcionava com duas agulhas, usadas para gravar sons nos cilindros ou para reproduzi-los. Você pode entender melhor o processo no vídeo abaixo:

Agora, uma coleção de cilindros, com registros misteriosos, será finalmente ouvida – e disponibilizada online.

Os cilindros pertencem à Biblioteca Pública de Nova York (NYPL, na sigla em inglês), e estão guardados há pelo menos 100 anos. Eles não foram reproduzidos em um fonógrafo porque são muito frágeis: podem rachar depois de tocados algumas vezes ou até se forem segurados por muito tempo com as mãos.

Continua após a publicidade

É uma questão de cuidado com esses materiais históricos – e que torna o conteúdo de alguns cilindros, não identificados com rótulos, um enigma. Existe, por exemplo, uma caixa deles que foi encontrada em 2016 e contém apenas a indicação: “Presente de Mary Dana para a Biblioteca Pública de Nova York em 1935”.

Agora, chegou o momento de descobrir o conteúdo dos cilindros, porque a biblioteca adquiriu um aparelho chamado Endpoint Cylinder and Dictabelt Machine, que pode digitalizar até cilindros rachados ou quebrados.

A máquina recém-adquirida pela biblioteca tem uma combinação de laser e agulha, por isso é capaz de reproduzir e digitalizar o conteúdo dos cilindros fonográficos sem riscos à integridade do material (você pode conferir como o aparelho funciona neste site). O processo de digitalização dos cilindros da NYPL levará alguns anos. Ao final, o conteúdo será disponibilizado online.

Os cilindros podem guardar desde óperas a gravações caseiras de festas e conversas quaisquer. Alguns deles não são misteriosos: a biblioteca tem, por exemplo, uma coleção chamada “Mapleson Cylinders”. São cilindros que contêm ensaios e apresentações da Metropolitan Opera da virada do século passado, que representam as primeiras gravações extensas ao vivo da história.

Compartilhe essa matéria via:
Continua após a publicidade

Publicidade
História
Gravações feitas em cilindros de cera serão ouvidas depois de um século
A Biblioteca Pública de Nova York vai digitalizar sua coleção de cilindros fonográficos – o primeiro meio comercial de gravação e reprodução de som. Entenda como eles funcionam.

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Transforme sua curiosidade em conhecimento. Assine a Super e continue lendo

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos no site e ter acesso a edição digital no app.

App SUPER para celular e tablet, atualizado mensalmente.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)

Impressa + Digital

Plano completo da Super. Acesso aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias e revista no app.

Acesso ilimitado ao Site da SUPER, com conteúdos exclusivos e atualizados diariamente.

Receba mensalmente a SUPER impressa mais acesso imediato às edições digitais no App SUPER, para celular e tablet.

a partir de R$ 12,90/mês

Publicidade