Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês

Guerra dos Trinta Anos: Quebra-pau religioso

Por Da Redação Atualizado em 31 out 2016, 18h21 - Publicado em 31 out 2004, 22h00

A Guerra dos Trinta Anos, envolvendo vários países da Europa, foi o mais longo conflito ininterrupto na história da humanidade. A batalha se iniciou na Boêmia (na atual República Tcheca), então dominada pelo Sacro Império Romano. A guerra foi resultado de diversos conflitos religiosos entre luteranos e católicos. Começou em 1618 e teve como pretexto a demolição de duas igrejas luteranas na Boêmia, contrariando a liberdade religiosa que vigorava na época. A primeira fase foi comandada pelo imperador Fernando II, católico, que, com o apoio dos Habsburgos espanhóis, derrotou os protestantes em 1620. A segunda fase da guerra adquiriu dimensão internacional, com Cristiano IV, rei da Dinamarca e da Noruega, apoiando os protestantes alemães, principalmente por razões não-religiosas.

Sob o comando do Cardeal Richelieu, a França entrou na última fase da guerra, em 1635, e foi fundamental para o seu desfecho. Disposta a tornar-se uma potência mundial, a França massacrou a Espanha. O conflito estendeu-se até 1648, quando a Espanha reconheceu a derrota.

Publicidade