Clique e assine com até 75% de desconto

Múmia de 5 mil anos usava pochete

E não só pochete: o Ötzi, uma múmia encontrada nos Alpes, também usava tanguinha e legging. Veja o que arqueólogos e geneticistas descobriram sobre a moda de 3.300 a.C.

Por Ana Carolina Leonardi Atualizado em 31 out 2016, 18h58 - Publicado em 25 ago 2016, 16h30

Ötzi, um homem que viveu há 5300 anos, encontrado mumificado nos Alpes entre a Áustria e a Itália, já contribuiu muito para a ciência. No seu estômago, estudamos suas bactérias e até os restos da sua última refeição. Agora, pesquisadores voltaram os olhos para seu guarda-roupa.

O frio ajudou a conservar o corpo do homem, e seu figurino também foi encontrado em boas condições. Ele vestia bota e roupas de couro, um sobretudo impermeável de capim e um chapéu de pele, além de uma série de armas e até um kit de “primeiros socorros”, com faixas cheias de fungos que, séculos depois, ainda eram usados para tratar infecções.

Para entender melhor como funcionava a manufatura desses objetos, uma equipe de arqueólogos e geneticistas conseguiu agora identificar de que animais vinha o couro para produzir as peças.

Os resultados mostram que a população da Idade do Cobre se abastecia com materiais que vinham tanto de animais domésticos quanto de bichos selvages. Seu capuz e a aljava onde guardava suas flechas era feitos, respectivamente, de pele de urso marrom e de cervo. Já o restante das roupas parece ter vindo do couro de bois, ovelhas e cabras.

Os pesquisadores acreditam que o estudo mostra que, mesmo mais de 5 mil anos atrás, os humanos já tinham consciência de que tipo de animal era melhor para produzir cada objeto ou peça de roupa. Além disso, o experimento mostrou que o DNA mitocondrial é uma boa ferramente para investigar genomas, mesmo de artefatos históricos desgastados pelo tempo.

Conheça mais sobre o look estiloso do Homem do Gelo e as descobertas científicas sobre a moda de 3300 a.C.

Continua após a publicidade
Publicidade