Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês

Neandertais eram canibais

E a comilança não fazia parte de rituais. Era um almoço como qualquer outro

Por Da Redação Atualizado em 15 fev 2018, 14h58 - Publicado em 31 out 1999, 22h00

As evidências são fortes. Nossos primos neandertais, extintos há uns 30 mil anos, comiam seus semelhantes. São bem claras as pistas encontradas pelos paleontólogos Tim White, da Universidade da Califórnia, nos Estados Unidos, e Alban Defleur, da Universidade do Mediterrâneo, na França.

O achado ocorreu numa caverna na região francesa de Ardèche. Ocupada por neandertais há 100 mil anos, ela contém ossos que só podem ser restos de refeições. Sua posição indica que eles foram jogados no chão pelos homens pré-históricos sem a menor cerimônia. “Não há nenhuma diferença entre o tratamento recebido pelos restos humanos e os de animais deixados na mesma caverna”, disse White à SUPER. Isso mostra que a comilança não fez parte de rituais. Era um almoço como qualquer outro.

Antes de torcer o nariz para a brutalidade dos parentes distantes, é bom lembrar que o mesmo costume ocorria na nossa família também. “Os Homo sapiens eram canibais naquele período”, garante White. “As provas estão por toda parte na África.” Sem mencionar que várias tribos indígenas mantiveram carne humana no cardápio até o século XX. Mas por que, afinal, os neandertais se comportavam assim? “É quase certo que era fome mesmo”, responde White. Faz sentido.

Só ficou osso

A forma dos cacos de crânio, como a de outros ossos partidos, revela sinais de pancada por um instrumento. Quem os quebrou estava atrás de petiscos nutritivos: miolos e tutano.

Os restos de gente estavam misturados com partes de veados, comuns na dieta neandertal. Ou seja, foram jogados no lixo. Eram mesmo sobras de comida, não uma sepultura.

Alguns ossos tinham riscos que certamente foram feitos por raspadores, instrumentos para cortar carne. Ao microscópio se viu que os arranhões se encaixam bem nos dentes do raspador.

Continua após a publicidade
Publicidade