Clique e Assine SUPER por R$ 9,90/mês
Continua após publicidade

O ciclo da moto

A motoca começou como magrela, passou por duas guerras mundiais, conquistou Manaus e a América. Agora, o futuro ao hidrogênio pertence

Por Da Redação Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO
Atualizado em 31 out 2016, 18h22 - Publicado em 31 jul 2007, 22h00

Texto Marcelo Brettas

1500 – O Esboço de Da Vinci

A novidade: Um esboço do que seria um veículo sobre duas rodas.

A máquina: Desenhado por volta de 1500, o projeto incluía manivelas, pedais e transmissão por corrente, algo que só seria inventado 3 séculos depois.

1790 – O pai de todas

A novidade: Um veículo sobre duas rodas.

Continua após a publicidade

A máquina: O projeto do francês conde de Sivrac tinha rodas unidas por uma tábua de madeira onde o condutor se sentava. O movimento vinha do impulso dos pés no solo.

1817 – Assumindo o comando

A novidade: Fazer curvas! E pedalar!

A máquina: Com um eixo vertical na roda, o barão Drais inventou a magrela com curvas – antes, o guidão não se mexia. Seu modelo seguinte incluiria pedais – a engenharia era a mesma de Da Vinci.

1869 – Passeio sem força

Continua após a publicidade

A novidade: Um motor.

A máquina: A paternidade é disputada pelo americano Roper, que fez, mas não patenteou; e pelo francês Perreaux, que patenteou, mas não fez.

1885 – Força na traseira

A novidade: A propulsão que usamos até hoje.

A máquina: Pedais, corrente, coroa na roda traseira. Todo o sistema que faria as motos andar estava aqui – com a exceção do motor.

Continua após a publicidade

1885 – Motor explosivo

A novidade: Um motor decente.

A máquina: Gotlieb Daimler (o mesmo da Daimler-Benz) acoplou um motor de combustão aos modelos já existentes. Agora as motos atingiam incríveis 6 km/h.

1887 – A roda reinventada

A novidade: Pneus!

Continua após a publicidade

A máquina: O filho do escocês John Boyd Dunlop reclamava da vibração nas rodas de madeira. Papai então criou um tubo de borracha oco que inflava com uma bomba de ar.

1894 – Esquema industrial

A novidade: A primeira fábrica de motos.

A máquina: Bom para a história, ruim para os donos: a Hildebrand & Wolfmüller vendeu apenas algumas centenas de suas motos caras e cheias de problemas. A empresa foi para o vinagre em 3 anos.

1897 – Os primeiras pegas

Continua após a publicidade

A novidade: Vamos ver quem chega mais rápido ali do outro lado.

A máquina: A primeira corrida aconteceu em Surrey, subúrbio de Londres. A velocidade se tornaria um laboratório de melhorias técnicas.

1900 – Descobrindo a América

A novidade: As motos chegam em casa.

A máquina: Nenhum outro lugar receberia as motos tão bem quantos os EUA. Uma década após o iníco da produção, mais de 20 montadoras já estavam emoperação.

1914 a 1918 – O poder do mito

A novidade: A 1ª Guerra muda as motos.

A máquina: A Harley-Davidson é a principal fornecedora do Exército dos EUA. Os combates levaram a uma revolução tecnológica, em especial nos freios e na suspensão.

1939 a 1945 – Moto em guerra

A novidade: As grandes marcas entram em combate.

A máquina: Cerca de 200 000 motos foram usadas em combate. Entre elas, a BMW R75 com sidecar (acima), dos nazistas, e a WLA, produzida pela Harley com exclusividade para o Exército americano.

1951 – Nós temos motoca

A novidade: Uma brasileirinha.

A máquina: A Monark lança moto com motor de 125 cc. A fábrica ainda lançaria 3 modelos maiores (com motores da Checoslováquia) e o ciclomotor Monareta.

1955 – Anos dourados

A novidade: Descer a rua Augusta com uma lambreta nacional.

A máquina: Começam a ser montadas no Brasil as primeiras Lambrettas e Vespas, que marcariam os hábitos e costumes de toda uma geração.

1976 – A favorita

A novidade: O Brasil produz em massa.

A máquina: A Honda inicia a produção em Manaus. De lá sairiam quase 10 milhões de unidades – a marca é líder de vendas no Brasil e fabrica a CG 125, grande dama do motociclismo nacional.

1998 – Motovelocidade

A novidade: Acelerar a mais de 300 km/h.

A máquina: Há uma década esta é a mais rápida do mundo, com 320 km/h. Mas isso foi antes de os fabricantes concordarem em limitar a velocidade máxima a 300 km/h. Eles temiam uma chuva de processos por acidentes fatais com motos.

2007 – Cara de boazinho

A novidade: A moto do bem.

A máquina: As motos precisam de um futuro ecológico – elas poluem pelo menos 5 vezes mais do que um carro. Este protótipo a hidrogênio chega a 80 km/h e não emite poluentes. Seu único problema: o motor não faz barulho de moto.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 9,90/mês*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Super impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 14,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$118,80, equivalente a 9,90/mês.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.