GABRILA65162183544miv_Superinteressante Created with Sketch.

Medalhas da Olímpiada de Matemática são convidados para competir na Índia – e fazem vaquinha

Estudantes brasileiros de escola pública arrecadam dinheiro pelo Catarse, com a ajuda dos pais e até vendendo rifas pelo bairro. Não quer ajudar também?

Vencedores da medalha de ouro na Olímpiada Internacional Matemática Sem Fronteiras, sete alunos da Escola Técnica Estadual (Etec) Martin Luther King, no Tatuapé, Zona Leste de São Paulo, foram convidados para participar do Festival Internacional de Ciência Quanta, na Índia, no mês que vem. Só que, para representar o Brasil na competição, tinham que arcar com o custo de R$ 80 mil para levar nove pessoas, contando dois professores. Os adolescentes se organizaram, foram às ruas e fizeram crowdfunding para conseguir essa grana. E conseguiram.  

Já as seis alunas e um aluno da Etec Professora Doroti Quiomi Kanashiro Toyohara, em Pirituba, ainda estao longe da meta. Até agora a escola atingiu apenas R$ 9 mil reais. A escola tem apenas quatro anos e fica numa região periférica de São Paulo, o que dificulta a arrecadação. Apesar das dificuldades, a escola é oitavo colocada no ENEM, no Brasil todo, e no ano passado ganhou medalha de bronze na Olimpíada Internacional de Matemática Sem Fronteiras.  

“Os alunos ficam depois da aula, fazem grupo de estudos de matemática, física, química”, diz Eliane Leite, Diretora da Etec. “Os professores acabam ficando depois do expediente, porque eles dizem que dá gosto ensinar”, completa. Para ajudar os alunos na representação do país é só entrar no site da campanha. O evento acontece entre 14 e 17 de novembro.

O Centro Paula Souza, orgão responsável por administrar Etecs e Fatecs (Faculdades de Tecnologia) diz que tem orgulho dos alunos, mas, como são 24 turmas de estudantes de 15 Etecs convidadas para o evento, não disporia dos recursos necessários para arcar com a viagem de todo mundo.