Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês

7 famosos que morreram assassinados pelos próprios fãs

Nesses casos trágicos, o afeto de fã se tornou algo doentio

Por Pedro Sobreiro Atualizado em 14 fev 2020, 17h34 - Publicado em 25 ago 2017, 17h03

1) JOHN LENNON

Data da morte: 8 de dezembro de 1980

O beatle foi executado com cinco tiros na saída de seu prédio, em Nova York. John e o assassino, Mark Chapman, haviam se encontrado horas mais cedo, quando Mark levou o disco Double Fantasy para ele autografar. Chapman foi condenado à prisão perpétua com possibilidade de soltura depois de 20 anos. Desde 2000 ele realiza pedidos bienais de liberdade, todos negados

2) SELENA QUINTANILLA-PÉREZ

Data da morte: 31 de março de 1995

Com 23 anos, Selena era a primeira latina a encabeçar a Billboard 200. Yolanda Saldívar, presidente do fã-clube e gestora das butiques da cantora, deu um tiro em suas costas. A mulher tinha sido demitida de ambos os cargos por ter desviado cerca de US$ 60 mil. Revoltada, comprou um revólver, encontrou a cantora e efetuou o disparo. Ela foi condenada à prisão perpétua e poderá pedir liberdade condicional em 2025

3) DIMEBAG DARRELL

Data da morte: 8 de dezembro de 2004

Durante um show em Columbus (EUA), Nathan Gale subiu ao palco e disparou cinco tiros contra o guitarrista do Damageplan e ex-membro do Pantera, que morreu ali. Nathan também atirou em todos que tentaram impedi-lo (foram outros três mortos e dez feridos). Ele disse o motivo segundos antes da execução: “Você acabou com o Pantera. Você arruinou a minha vida”. Gale foi morto no ato por um policial

4) ANDRÉS ESCOBAR

Data da morte: 2 de julho de 1994

Continua após a publicidade

O zagueiro era ídolo da seleção colombiana. Na Copa de 94, a esquadra era uma das favoritas, mas foi eliminada após perder para os EUA com um gol contra vergonhoso de Escobar. Em Medellín, o jogador voltou como grande vilão e acabou sendo assassinado por Humberto Muñoz Castro e mais três homens. Escobar levou 12 tiros – relatos indicam que o executor teria dado os disparos gritando “Gol!”, como um locutor de futebol. Até hoje não se sabe se foi uma morte encomendada ou se os homens só ficaram muito revoltados com a seleção. Castro levou 43 anos de prisão, cumpriu 11 e foi solto por bom comportamento

  • 5) REBECCA SCHAEFFER

    Data da morte: 18 de julho de 1989

    Modelo infantil, Schaeffer despontou como atriz em séries e filmes. Robert John Bardo, um stalker que a perseguia desde 1986, ficou indignado com uma cena de sexo de Schaeffer em Luta de Classes em Beverly Hills, afirmando que aquilo destruiu o conceito de inocência e pureza que ele tinha dela. Então, ele foi até o apartamento da atriz, pediu um autógrafo e ficou esperando na portaria. Quando ela apareceu, o assassino abriu fogo contra a mulher, que não resistiu. Bardo foi condenado à prisão perpétua sem chance de condicional

    6) CHRISTINA GRIMMIE

    Data da morte: 11 de junho de 2016

    Christina participou do The Voice dos EUA em 2014. Treinada por Adam Levine, terminou em terceiro, mas ganhou bastante repercussão com seus vídeos de covers no YouTube. Após uma apresentação em Orlando, Christina saiu para distribuir autógrafos e foi baleada por Kevin Loibl, um fã que se sentiu traído depois de Grimmie postar uma foto com seu namorado no Instagram. Loibl cometeu suicídio em seguida

    7) ALBERT EBOSSE

    Data da morte: 3 de agosto de 2014

    A morte do atacante camaronês é cercada de mistérios. O JS Kabylie, time do qual era artilheiro, perdia por 2 a 1 para o USM Argel quando sua própria torcida começou a arremessar pedras em direção aos jogadores. Uma delas acertou a cabeça de Albert, que teve traumatismo craniano e hemorragia interna e não resistiu. Mas, segundo a autópsia, o jogador ainda teria sofrido lesões na cabeça e no ombro causadas por algum tipo de agressão nos vestiários. O JS Kabylie foi banido da edição 2015 da Liga dos Campeões da África

    Pergunta da leitora Mariana dos Santos Costa, São Paulo, SP

    FONTES Extra, Globo Esporte, Daily Star

    Continua após a publicidade
    Publicidade