Assine SUPER por R$2,00/semana
Continua após publicidade

Como a Muralha da China foi construída?

Obra chegou a ter mais de 21 mil quilômetros

Por Tiago Cordeiro
Atualizado em 14 fev 2020, 17h36 - Publicado em 27 jun 2017, 13h26

Ilustra Kiko Mauriz
Edição Felipe van Deursen

(Kiko Mauriz/Mundo Estranho)

1. OBRA DEMORADA
A construção demorou muito. Em 211 a.C., o senhor feudal Qin unificou parte do que hoje é a China e se tornou imperador. Na época, as fronteiras do país tinham dezenas de pequenos muros de barro, areia molhada ou madeira, levantados desde o século 7 a.C. Para reforçar a proteção contra as tribos do norte, Qin resolveu unir esses muros

2. DE PEDRA EM PEDRA
A partir de então, a muralha foi ampliada, atingindo o auge no reinado da dinastia Ming (1368-1644). O processo de construção evoluiu: após quebrar pedras com picaretas no pé das montanhas, os trabalhadores (em geral, camponeses da região) as levavam sobre o lombo de cabras até a obra. Ali, colocavam as pedras e os tijolos de barro em bacias de bambu. Para erguerem as peças, usavam cordas e roldanas

3. ROTA SEGURA
A Rota da Seda, caminho usado por comerciantes do Ocidente e do Oriente, passava pela área coberta pela muralha. Com o tempo, a construção, que tinha função estritamente militar, assimilou alguns serviços da rota, como o uso de correios. Mensageiros percorriam a muralha de ponta a ponta e desciam nos vilarejos próximos a construções de apoio

Continua após a publicidade
  • Já ouviu falar que milhares de cadáveres foram misturados às pedras para reforçar a obra? Isso é lenda

4. CAMINHO SUAVE
Durante o período Ming, a muralha chegou a ser moradia de até 1 milhão de guardas, que caminhavam entre os postos de observação, preservando as fronteiras e observando a possível movimentação de inimigos, especialmente os mongóis. Nessa fase, a muralha já era uma espécie de fortaleza linear

VIDA CHATA
Os guardas faziam rondas de madrugada e, à luz do dia, circulavam entre os postos de observação, enquanto os colegas preparavam alimentos ou faziam a manutenção das armas. A comunicação entre as torres era feita por meio de sinais de fumaça. As fogueiras eram acendidas com palha misturada com fezes de soldados e animais de carga

ATRAÇÃO TURÍSTICA
A muralha perdeu utilidade militar quando a China expandiu suas fronteiras. No século 19, ela começou a atrair turistas. Partes da obra que ficam em regiões distantes estão desgastadas e em decadência. Além do tempo, a culpa também é do ex-ditador Mao Tsé-tung, que nos anos 1960 e 1970 retirou pedaços inteiros do muro para construir casas

  •  Outra lenda: aquele papo de que para ver a Muralha da Lua

 

Continua após a publicidade
  • Relacionadas

JÁ QUE VOCÊ CHEGOU ATÉ AQUI…
Acreditamos que a experiência visual dessa e de outras matérias do tipo é mais completa e prazerosa na revista. Assine a MUNDO ESTRANHO, receba na sua casa e comprove!

FONTES livros The Great Wall of China: From History to Myth, de Arthur Waldron, e The Great Wall: China against the World, de Julia Lovell

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

A ciência está mudando. O tempo todo.

Acompanhe por SUPER.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou

Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Super impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 12,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.