Clique e Assine SUPER por R$ 9,90/mês
Continua após publicidade

Como é a ferrovia transiberiana?

Ela conecta o maior país do mundo quase de uma ponta à outra

Por Leo Pires
Atualizado em 22 fev 2024, 10h04 - Publicado em 19 jun 2018, 18h28
(Guilherme Henrique/Mundo Estranho)

ILUSTRA Guilherme Henrique
EDIÇÃO Felipe van Deursen

Resumimos a saga de uma das ferrovias mais famosa do mundo em paradas pelos lugares que ela marcou

 

ANTES DE PARTIR: SÃO PETERSBURGO
Capital russa até 1918, foi aqui que começaram os planos de construção da ferrovia, no fim do século 19. A Rússia do tempo dos czares era uma nação rural, gigantesca e pouco explorada. A ferrovia serviria para conectar e modernizar o país. Até então, o contato com o interior era feito por navegação (quando os rios não estavam congelados) ou por precárias estradas

PARTIDA: MOSCOU
Aqui fica uma das pontas da ferrovia. O país já contava com uma rede ferroviária que ia até os Montes Urais, então o desafio maior foi criar a malha no oriente do país, dos Urais até Vladivostok. As obras, em ritmo acelerado, partiram das duas extremidades e contaram com o Exército e prisioneiros. O então príncipe Nicolau 2º inaugurou o trecho em 1891

PRIMEIRA PARADA: ECATERIMBURGO
A Rússia é um país majoritariamente plano, com poucas barreiras naturais. Uma delas são os Montes Urais, cordilheira que separa a porção europeia e a asiática do país. Ecaterimburgo, na porção leste dos Urais, é conhecida como a “janela para a Ásia”. A cidade, a mais oriental da sedes da Copa 2018, foi palco da execução de Nicolau 2º, último dos czares, e de sua família, em 1918

Continua após a publicidade

SEGUNDA PARADA: NOVOSIBIRSK
Foi fundada em 1893 para abrigar uma grande ponte sobre o rio Ob, por onde passaria a ferrovia. A chegada da Transiberiana e, depois, o período comunista deram um grande empurrão ao desenvolvimento da cidade, que hoje é a terceira maior do país e capital do Distrito Federal Siberiano

TERCEIRA PARADA: LAGO BAIKAL
É a maior atração da viagem, literalmente. Com 31 mil km2 (maior que Alagoas) e quase 1,7 mil metros de profundidade, ele é o lago mais profundo do mundo. A construção da ferrovia acabou aqui em 1916, quando os dois extremos se encontraram

CHEGADA: VLADIVOSTOK
A cidade portuária é a última parada da ferrovia, depois de 9.289 km e oito fusos horários. Ela fica na Manchúria, região que teve importância vital na 2ª Guerra. O Japão a invadiu em 1931, e só saiu de lá em 1945, quando os soviéticos tomaram a região. O episódio marcou o fim da guerra

 

(Guilherme Henrique/Mundo Estranho)

ESTICADINHA COREANA
Um vagão-dormitório que sai de Pyongyang, capital da Coreia do Norte, e se conecta à Transiberiana em Vladivostok forma a viagem de trem de passageiros mais longa do mundo. De Pyongyang a Moscou são oito dias e meio e 10.267 km. Já a maior rota de trens de carga vai de Yiwu, China, até a Espanha. São 12.874 km e 20 dias para chegar a Madri

COMO VIAJAR
A melhor época para viajar pela Transiberiana é de maio a setembro, quando o clima está mais ameno na região. É possível achar tíquetes de segunda classe de Moscou a Vladivostok nessa época por cerca de US$ 300. A passagem aérea para Moscou no mesmo período pode custar cerca de R$ 3,8 mil

FONTES DV Land, Lonely Planet, Trains Russia

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 9,90/mês*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Super impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 14,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$118,80, equivalente a 9,90/mês.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.