Assine SUPER por R$2,00/semana
Continua após publicidade

Como funciona o carro elétrico?

Existem diferentes modelos de carros elétricos – todos têm em comum, claro, um motor movido a eletricidade. Mas a eletricidade pode vir de diferentes fontes: de baterias, da queima de combustíveis tradicionais, como a gasolina, ou da reação química do gás hidrogênio. Dos modelos já testados até agora, o carro elétrico movido a hidrogênio é […]

Por Tarso Araújo
Atualizado em 22 fev 2024, 11h26 - Publicado em 18 abr 2011, 18h25

Existem diferentes modelos de carros elétricos – todos têm em comum, claro, um motor movido a eletricidade. Mas a eletricidade pode vir de diferentes fontes: de baterias, da queima de combustíveis tradicionais, como a gasolina, ou da reação química do gás hidrogênio. Dos modelos já testados até agora, o carro elétrico movido a hidrogênio é o mais viável. Além de ter emissão de poluentes zerada, ele já tem uma performance compatível com a dos carros tradicionais. Sim, o modelo não é mais ficção científica. Existem cerca de 100 protótipos de carros e 80 de ônibus com essa tecnologia em universidades e centros de pesquisa pelo mundo, muitos deles em testes. Existem até modelos de linha, como o Honda FCX, que inspirou o infográfico abaixo. Apesar das vantagens, o preço é mais chocante que uma descarga de 220 V: cerca de 1 milhão de dólares! “Ainda é preciso muita pesquisa sobre os componentes, mas o preço tende a abaixar. A velocidade com que isso vai acontecer depende da urgência com que os governos vão abordar os problemas ambientais”, afirma o professor Ennio Peres da Silva, coordenador do Laboratório de Hidrogênio da Unicamp, que desenvolve o Vega, protótipo brasileiro de carro elétrico movido a hidrogênio.

Atrás do carro elétrico…
…Vai um motor movido a hidrogênio, que não faz barulho e elimina água pelo escapamento

1. A energia para o motor vem do hidrogênio gasoso, estocado num tanque parecido com os de gás natural veicular. A diferença é que o tanque é feito de fibra de carbono, que é mais leve e suporta cem vezes mais pressão. Como o hidrogênio é pouco denso, é preciso botar muita pressão para fazer caber muito gás em pouco espaço

2. A célula combustível é a peça que transforma o hidrogênio em energia. Ela usa um princípio descoberto há quase 200 anos para produzir eletricidade a partir da reação química do gás hidrogênio com o oxigênio do ar. O único subproduto da reação é água:

3. 1. As moléculas de hidrogênio se dividem em íons de hidrogênio (H+) e elétrons livres (e-) / 2. Os prótons de hidrogênio atravessam uma membrana úmida, onde se encontram com moléculas de O2 que foram quebradas em íons (O-) para formar água / 3. A membrana não deixa os elétrons passar e os faz pegar outro caminho: é aí que se forma a corrente elétrica

4. Uma das peças exclusivas – e mais caras – do carro elétrico é o sistema eletrônico que controla a origem de energia. Ele decide, em cada momento, se a eletricidade do motor deve vir das baterias, dos capacitores ou da célula combustível, de acordo com a aceleração e o tipo de movimento – partida, aceleração, subida etc.

5. No lugar da energia liberada pela combustão de gasolina ou outro combustível, o motor consome a eletricidade vinda do hidrogênio. Como não precisa das explosões, o motor não faz nenhum barulho! Ele pesa no máximo 100 kg (metade de um motor convencional) e tem uma potência que vai de 60 a 120 cavalos, o equivalente a um carro popular

6. A eletricidade produzida na célula pode ir direto para o motor ou recarregar duas reservas de energia do carro: baterias e ultracapacitores. As primeiras são como baterias de celulares e dão uma carga extra para o carro subir uma ladeira, por exemplo. Os capacitores fazem o mesmo, só que mais rápido, numa acelerada repentina

Continua após a publicidade

7. Alguns carros elétricos podem recarregar as baterias na tomada de casa em até seis horas. Com as baterias 100%, a autonomia chega a apenas 100 km. Já um tanque de hidrogênio é suficiente para cerca de 350 km. Não dá para ir do Rio de Janeiro a São Paulo sem reabastecer, mas dá para circular numa boa na cidade

8. Um equipamento comum nos carros elétricos é o freio regenerativo: ele transforma a energia mecânica do movimento das rodas em eletricidade para recarregar as baterias. Se você descer uma serra, por exemplo, pode chegar lá embaixo com a bateria mais carregada que no início da viagem

Vale a pena?
Compare os gastos e a emissão de um carro a gasolina e um elétrico para uma adistância de 100 km

Carro a gasolina

R$ 10,5

18,2 gramas de CO2

Carro a hidrogênio*

R$ 7,3

0 grama de CO2

Apesar de os números indicarem vitória do hidrogênio, há outros fatores em jogo. “O hidrogênio ainda custaria o dobro da gasolina, mas rende o dobro também. Então, para andar a mesma distância, gastaríamos quase o mesmo dinheiro”, diz Ennio Peres. E o impacto ecológico deve levar em conta a fabricação do hidrogênio. Nos EUA, ele é feito com energia da queima de carvão, e, no total do processo, polui mais que a própria gasolina.

* Preços nos EUA para hidrogênio feito a partir da reforma de gás natural.

A emissão de CO2 considera apenas gases emitidos pelo carro e exclui o volume de emissão necessário para fabricação do combustível

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

A ciência está mudando. O tempo todo.

Acompanhe por SUPER.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou

Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Super impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 12,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.