Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês

Como funciona o forno autolimpante?

O forno nosso de cada dia, dos fogões a gás, faz a gordura que espirra nas paredes sumir por meio de uma reação química. Isso acontece quando as laterais e o fundo do forno são cobertos com um esmalte que deixa a superfície cheia de poros. A gordura do cozimento respinga nesses furinhos e reage […]

Por Diogo Ferreira Gomes Atualizado em 4 jul 2018, 20h14 - Publicado em 1 set 2009, 16h37

O forno nosso de cada dia, dos fogões a gás, faz a gordura que espirra nas paredes sumir por meio de uma reação química. Isso acontece quando as laterais e o fundo do forno são cobertos com um esmalte que deixa a superfície cheia de poros. A gordura do cozimento respinga nesses furinhos e reage com o revestimento, desintegrando-se por catálise, ou seja, aceleradamente – o ar quente do forno faz os resíduos evaporar. Obviamente, para limpar peças sem esmalte, como grades, porta e o forro da parte de baixo, só com uma esfregadinha manual mesmo. Em fornos elétricos, a limpeza é mais violenta e não tira só gordura, não! O processo, chamado de pirólise, transforma qualquer vestígio de alimento grudado no forno em cinzas, após duas horas sob temperatura de 500 ºC – para bancar essa faxina automática, só esnobando na conta de luz.

Publicidade