Clique e Assine a partir de R$ 12,90/mês

Como funciona uma gaita de fole?

O princípio da gaita de fole é manter um fluxo constante de ar pelas saídas do instrumento, que vibram e emitem sons

Por Bruno Lazaretti Atualizado em 4 jul 2018, 20h24 - Publicado em 27 jan 2016, 16h41

gaita_siteILUSTRAS: Eduardo Medeiros

O princípio da gaita de fole é manter um fluxo constante de ar pelas saídas do instrumento, que vibram e emitem sons. Para isso, o gaiteiro infla um fole (um reservatório capaz de manter um fluxo constante e uniforme de ar) e o pressiona levemente com o braço quando precisa tomar fôlego. O ar, então, sai pela ponteira, que faz a melodia, e pelos roncos, que fazem o “ronco” de fundo. Existem vários modelos diferentes (veja o box), mas o escocês, retratado no infográfico, continua sendo o mais famoso.

1) Soprete

É o tubo por onde o gaiteiro enche o fole com ar. Na ponta conectada ao fole, há uma válvula de borracha que impede a passagem do gás no sentido contrário. O ar enche o fole e já começa a escapar pelos roncos e ponteira

2) Ponteira

A ponteira funciona como uma flauta presa ao fole. Feita de madeira e geralmente com 11 buracos, oito usados na melodia e três para a afinação, ela recebe parte do fluxo de ar do fole e é manuseada pelo gaiteiro para tocar as notas

3) Gaiteiro

Precisa estar sempre atento para manter o ar circulando e tocar as notas da ponteira. Quando acaba o fôlego, ele pressiona o fole com o braço, forçando a saída do ar reservado e impedindo que o som pare enquanto enche os pulmões

4) Roncos

Formam a base do som da gaita de fole. Compostos de três partes, ombreira, média e copa, eles emitem o som constante, chamado nota pedal, que não muda de frequência: fica sempre duas oitavas abaixo do som da ponteira

5) Fole

A parte mais característica do instrumento serve para distribuir o ar de maneira uniforme entre os roncos e a ponteira. Antigamente, eram feitos de pele de animais – hoje, o mais comum é borracha ou Gore-Tex

Continua após a publicidade

6) Palhetas

Feitas de cana-do-reino, podem ser consideradas a alma da gaita. Elas são instaladas aos pares na conexão da ponteira com o fole, e individualmente na base de cada ronco. Elas vibram com a passagem do ar, produzindo som

Outros modelos

Existem variações do instrumento em diferentes partes do mundo

Sackpipa (Suécia)

sackpipa

Dudy (Polônia)

dudy

Dudelsack (Alemanha)

dudelsack

Chabrette (França)

chabrette

TDF SUGERIU Victor Siqueira

CONSULTORIA Associação Gaita-de-Foles

FONTES Livro The Book of the Bagpipe, de Hugh Cheape; site Soundcalledmusic.com

Continua após a publicidade
Publicidade