Clique e assine a partir de 5,90/mês

Como o aparelho de videokê é capaz de dar notas às pessoas?

Por Redação Mundo Estranho - Atualizado em 4 jul 2018, 20h18 - Publicado em 18 abr 2011, 18h52

O método varia de acordo com o fabricante, mas na maioria dos casos os aparelhos só levam mesmo em conta o ritmo da cantoria. Ou seja, você pode até esganiçar como uma gralha agonizante, mas, se fizer tudo perfeitamente dentro do compasso, vai receber uma boa avaliação. Um programa de computador identifica as sílabas da canção e verifica se elas foram cantadas pela pessoa de acordo com o padrão previsto, fazendo a contagem do número de acertos para calcular a nota. “O sistema é uma brincadeira, pois seria impossível uma máquina fazer uma avaliação artística e emocional”, diz o matemático Sung Won, diretor comercial da Raff Eletronics, que fabrica aparelhos de karaokê em vídeo. Mas já existem modelos com métodos mais sofisticados, que tentam reproduzir a forma como os seres humanos avaliam uma performance. Além do ritmo, é feita uma análise do volume da voz ao longo da música e uma comparação de melodia, verificando se o tom está correto.

Para criar a fórmula matemática que faz o cálculo da nota final, foram feitos até testes onde um grupo de pessoas avaliava diferentes performances, visando descobrir o que os jurados valorizavam mais na hora de emitir suas opiniões. “Nosso sistema reflete os critérios das pessoas, por isso se assemelha a uma avaliação humana. Por exemplo, perder o ritmo uma vez ou outra costuma não ser tão grave quanto uma bela desafinada”, diz o engenheiro eletrônico Ênio Blay, que desenvolveu o programa usado nos aparelhos da Gradiente. O karaokê em vídeo surgiu no Japão no final década de 1980, mas teve sucesso ainda maior na Coréia do Sul, onde acabou virando mania nacional. O divertimento só chegou ao Brasil nos anos 90, quando foram gravadas as primeiras fitas com canções nacionais.

Dicas preciosas
O que fazer para arrancar aplausos da galera e elogios da máquina

Comece com tudo

Na hora de avaliar o intérprete, alguns aparelhos, como o da Raff Eletronics, dão mais importância para o início da música, trecho que acaba valendo a metade da pontuação total. Ou seja, trate de caprichar principalmente nos primeiros versos

Não saia do ritmo

Geralmente, o mais importante é manter a cadência correta. Se todas as sílabas forem cantadas na hora certa, pintará na tela uma mensagem do tipo: “Você é um profissional!”. Mas não se iluda, pois muitas máquinas não reparam, por exemplo, se você desafinou. Entretanto, é importante manter um bom volume de voz e não se afastar do microfone

Conheça seu “público”

Nem todos os aparelhos, porém, se limitam a medir só a sua cadência. Alguns modelos verificam também se você está dentro do tom, comparando cada sílaba cantada com uma melodia padrão. Portanto, se você for soltar a voz em karaokês em vídeo como os da Gradiente, capriche também na afinação

Continua após a publicidade
Publicidade