Assine SUPER por R$2,00/semana
Continua após publicidade

Como se constrói um navio?

1. A construção do navio começa com partes menores, as chapas e perfis. As chapas são placas de aço com cerca de 12 metros de altura por 3 de largura, e espessura mínima de 6 milímetros. Na caldeiraria do estaleiro, são marcadas e cortadas em tamanhos e formatos já definidos em projeto. Os perfis, também […]

Por Luiz Fujita
Atualizado em 22 fev 2024, 11h29 - Publicado em 18 abr 2011, 18h24

1. A construção do navio começa com partes menores, as chapas e perfis. As chapas são placas de aço com cerca de 12 metros de altura por 3 de largura, e espessura mínima de 6 milímetros. Na caldeiraria do estaleiro, são marcadas e cortadas em tamanhos e formatos já definidos em projeto. Os perfis, também de aço, são como vigas que são soldadas às chapas e percorrem todas as suas dimensões para dar resistência

2. Chapas e perfis são soldados e encaixados, formando um bloco, caixa grande que pesa entre 50 e 300 toneladas e tem várias funções. Por exemplo, se ele for um compartimento de carga, o bloco vai ser mais vazio por dentro e pesará “apenas” 100 toneladas. Se for um quarto, terá um desenho mais sofisticado e receberá depois os móveis feitos na carpintaria do estaleiro. As paredes do bloco têm espaços destinados à passagem de fios e tubulações

3. Com cada bloco finalizado, a construção passa a ser como um jogo de montar. Os blocos são erguidos e alinhados com guindastes e, seguindo a planta do navio, são soldados uns aos outros. Para dar o acabamento, os pontos de solda são lixados com uma máquina e a estrutura é jateada com granalhas – bolinhas de aço que tiram as rugosidades da superfície. Por fim, o navio é revestido com uma tinta anticorrosão

4. A ordem em que os blocos são montados depende da função. A casa de máquinas, por exemplo, costuma ficar na parte de trás do navio – assim, o eixo que liga o motor à hélice é menor, evitando vibrações indesejadas. Em cima dela fica a casaria, onde estão as cabines e salas de controle. Essa localização é estratégica: como em geral as cargas são retiradas por cima, a casaria fica ali para não atrapalhar o acesso dos guindastes aos porões de carga

Continua após a publicidade

5. A parte elétrica funciona com geradores movidos a diesel e um complexo emaranhado de fios que alimentam sistemas de navegação, aquecimento, bombas e, no caso de navios multifuncionais, como os transatlânticos, até elevadores e piscinas aquecidas. Já os motores principais são movidos a um tipo de óleo combustível chamado bunker, um derivado de petróleo. Já embarcações menores podem ser movidas a diesel

6. Já imaginou quanta sujeira as pessoas produzem em um navio como o Panamax, com até 300 metros de comprimento? O lixo sólido, como papéis e restos de comida, é guardado para ser jogado no lixão em terra firme. Já o xixi e o cocô saem dos banheiros, passam pelo sistema hidráulico do navio e são temporariamente armazenados em tanques especiais. Tudo é jogado no mar, de acordo com rígidas normas de órgãos internacionais

Marinheiro de primeiro viagem
Como levar as mais de 20 mil toneladas de aço de um Panamax para dentro do oceano

MAR ADENTRO

Uma das estratégias para botar o navio no mar é fazer um dique, que nada mais é que uma piscina seca abaixo do nível do mar. O navio é contruído ali dentro e, quando fica pronto, válvulas são abertas, a água do mar entra e o navio começa a flutuar. Aí é só abrir as comportas e a embarcação está pronta para sair navegando

LADEIRA ABAIXO

Para embarcações menores, é usado o método de “carreira”. O navio é construído sobre trilhos de aço, que acompanham seu tamanho e ficam em uma área levemente inclinada próxima ao mar. A embarcação é presa por cabos de aço ou freios até ficar pronta. É quando soltam-se as amarras e ela escorrega para o mar

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

A ciência está mudando. O tempo todo.

Acompanhe por SUPER.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou

Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Super impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 12,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.