GABRILA65162183544miv_Superinteressante Created with Sketch.

Moses Sithole, o “Estrangulador da Sul-Africano”

Nos anos 80 e 90, ele estuprou mulheres em diversas cidades da África do Sul. Seus crimes foram tão hediondos que ele foi condenando a 2.410 anos de prisão

retrato_falado_moses_sithole

 (/)

ILUSTRA Eduardo Belga

1) O sul-africano Moses Sithole (1964- ) nasceu em Vosloorus. A cidade era uma das áreas destinadas à população negra durante o apartheid, o regime de segregação racial que durou 46 anos no país. Na época, manifestações contra o controle dos brancos eram respondidas com violência.

2) A morte prematura do pai, quando Moses tinha 6 anos, trouxe dificuldades financeiras e a família Sithole acabou despejada de casa. A partir daí, Moses pulou de orfanato em orfanato, escapando do convívio com a violenta mãe alcoólatra e com a meia-irmã que o molestava sexualmente.

3) Traumatizado por sofrer maus-tratos nas mãos do sexo oposto, Mosespreferia vitimar mulheres. Seu primeiro ataque aconteceu em 1987, quando amarrou e estuprou uma amiga de sua irmã. Com medo de ser morta, Patrícia Khumalo não apresentou queixa às autoridades.

 

+ Retrato Falado: Robert Pickton, o assassino que alimentava seus porcos com carne humana

+ Retrato Falado: Bruno Lüdke, serial killer ou vítima do regime nazista?

 

4) Em 1989, Moses estuprou Doris Swakamisa e a deixou viva e amarrada em uma savana. Três meses depois, foi identificado por Doris em Johannesburgo e condenado a sete anos de prisão. Na cadeia, conhece sua futura mulher, e é libertado em 1993.

5) Sithole voltou à caça em 1994. Sua nova tática era sair pela manhã fingindo procurar emprego. Se apresentando como Silvester, conquistava garotas ajudando-as a arrumar trabalho. Com esse esquema, estuprou, estrangulou e escreveu à faca no corpo de Maria Monama, de 19 anos. .

6) Depois de entrevistar familiares das vítimas, a polícia traçou um perfil de Moses. Até agosto de 1995, Sithole já tinha matado 20 mulheres, descartando os corpos nos subúrbios de Pretória e Johannesburgo. Um mês depois, fotos de Sithole como procurado foram publicadas em jornais.

 

+ Retrato Falado: Pedrinho Matador, o maior assassino das prisões brasileiras

+ Retrato Falado: Dean Arnold Corll, o assassino conhecido como “Candyman”

 

7) Buscando saber mais sobre o caso, Sithole telefonou para a imprensa e começou a revelar detalhes dos crimes a uma jornalista, que repassou tudo à polícia. Em 1995, a foto de Moses apareceu na TV e um conhecido ajudou os investigadores na captura. Sithole reagiu e foi baleado e preso.

QUE FIM LEVOU?

Graças a confissões, testes de DNA e o testemunho de mais de cem pessoas, Sithole pegou 2.410 anos de prisão. Meses depois, foi diagnosticado com aids.