Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês

O Brasil possui um serviço secreto?

Agência foi criada por FHC em 1999

Por Danilo Cezar Cabral Atualizado em 4 jul 2018, 20h10 - Publicado em 8 jan 2015, 17h09

Pergunta do leitor Gabriel Santos, Uruguaiana, RS

Sim. A Abin, Agência Brasileira de Inteligência, foi criada em 1999 pelo presidente Fernando Henrique Cardoso. Atualmente, ela é comandada por um diretor-geral que despacha de Brasília e coordena 27 superintendências regionais pelo país. A Abin planeja, executa e controla as atividades de produção de informações ligadas à segurança da nação e da sociedade do Brasil e assessora diretamente o gabinete da Presidência da República com esses dados. A agência é fiscalizada por uma comissão de senadores voltada à inteligência dentro do Congresso Nacional e não está ligada oficialmente a nenhuma ideologia ou partido político, funcionando como instrumento do Estado, independentemente de quem esteja no governo.

LEIA TAMBÉM:
+ Quais foram os espiões mais famosos da história? 
+ Como se tornar um espião do governo? 
+ 13 casos de espionagem entre marcas que você usa 
+ Quem foi o 007 mais eficiente?

Em defesa do Brasil

Fique por dentro da agência que coleta informações estratégicas para a segurança nacional

PORTA DE ENTRADA

Cargos são concursados. Graduação é obrigatória e pós-graduação é bem-vinda. Cursar direito, psicologia e TI é vantajoso e domínio de um segundo idioma é necessário. Pesquisas sobre a vida do candidato e entrevistas com familiares e amigos também rolam. O trabalho começa em Brasília, cursando a Escola de Inteligência da Abin

Continua após a publicidade

ABIN NA RUA

Os agentes vão a campo com a missão de observar, interpretar e simplificar fatos e situações domésticas e internacionais com o intuito de gerar dados e conhecimentos de interesse estratégico. Eles “alimentam” os analistas com essas informações para que a agência execute procedimentos de segurança necessários

COMO FAZ?

O cargo principal é o do analista de informações, que sintetiza e coleta fatos nacionais e mundiais, “peneirando” os dados de interesse nacional. Com base na coleta, planejamento e ações que salvaguardem o Estado são executados. A Abin não prende ninguém (não tem função policial) e as prioridades de suas operações estão nos fatos que ameaçam os interesses nacionais e não em pessoas

TRABALHO ESTRATÉGICO

A função da Abin é gerar informação estratégica internacional e doméstica, visando a defesa dos interesses e do território brasileiro. A proteção de assuntos sigilosos do Estado também faz parte das atribuições da agência

Nem tudo que as agências de inteligência fazem é secreto. O que existe são graus de sigilo, desde informações de domínio público até dados secretos

Qualquer cidadão pode solicitar, via carta, que a Abin revele se tem informações a seu respeito no banco de dados. Entenda o processo aqui

FONTES Secretaria de Assuntos Estratégicos, Agência Brasileira de Inteligência e defesanet.com.br

Continua após a publicidade

Publicidade
Mundo Estranho
O Brasil possui um serviço secreto?
Agência foi criada por FHC em 1999

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Transforme sua curiosidade em conhecimento. Assine a Super e continue lendo

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos no site e ter acesso a edição digital no app.

App SUPER para celular e tablet, atualizado mensalmente.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)

Impressa + Digital

Plano completo da Super. Acesso aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias e revista no app.

Acesso ilimitado ao Site da SUPER, com conteúdos exclusivos e atualizados diariamente.

Receba mensalmente a SUPER impressa mais acesso imediato às edições digitais no App SUPER, para celular e tablet.

a partir de R$ 12,90/mês

Publicidade