Assine SUPER por R$2,00/semana
Continua após publicidade

O que foi o escândalo Watergate?

Episódio marcou a história política dos EUA

Por Danilo Cezar Cabral
Atualizado em 14 fev 2020, 17h53 - Publicado em 6 jan 2011, 18h34

Foi a invasão aos escritórios do Partido Democrata americano em Washington, no conjunto de edifícios Watergate. O incidente aconteceu em 1972 e, após dois anos de investigação, culminou com a renúncia do presidente Richard Nixon. A invasão rolou durante a campanha eleitoral e, mesmo com evidências ligando o episódio ao comitê de Nixon, o presidente foi reeleito com larga margem de votos.

De denúncia em denúncia…

…Um assalto aparentemente comum levou à renúncia do presidente dos Estados Unidos

1. Cinco homens invadem escritórios dos democratas, no complexo de Watergate, e são presos. O objetivo era grampear telefones para usar informações confidenciais como chantagem política – o que só é descoberto após muita investigação. De um prédio vizinho, dois ex-funcionários da CIA e do FBI coordenam a invasão com walkie-talkies

Continua após a publicidade

2. No dia seguinte, o jornal The Washington Post publica uma pequena nota sobre a invasão. Intrigados com a notícia, dois repórteres do próprio jornal – Bob Woodward e Carl Bernstein – começam a investigar o ocorrido e descobrem que um dos invasores tinha o nome na folha de pagamentos do comitê de reeleição de Nixon

3. Seguindo a dica de um informante anônimo, Bernstein viaja para Miami e descobre que um cheque de 25 mil dólares, pertencente ao comitê de reeleição, tinha sido depositado na conta de um dos invasores. Surge a primeira evidência concreta ligando o fundo de campanha de Nixon com a invasão em Watergate

4. O informante é funcionário de alta patente no FBI – a polícia federal americana. Por ter acesso a relatórios confidenciais sobre a invasão, exige anonimato e ganha o apelido de Garganta Profunda. Em encontros secretos com Woodward, o Garganta confirma ou nega a autenticidade das fontes e dos dados colhidos pelos repórteres

Continua após a publicidade

5. A perseverança do Post, mesmo com a concorrência deixando o caso meio de lado, leva à descoberta de que assessores de Nixon conduziam um esquema de espionagem política para favorecer o chefe nas eleições. Com a pressão da imprensa e da população, é criada uma comissão no Senado para investigar o caso oficialmente

6. Em depoimento ao Senado, o advogado da Casa Branca assume que há um esquema de espionagem. Gravações de telefonemas que passavam pelo Salão Oval – escritório oficial do presidente – comprovam que Nixon comandava o esquema

7. Dois assessores e quatro integrantes da equipe presidencial são condenados. O impeachment é questão de tempo. Em 8 de agosto, Nixon renuncia num discurso dramático, via TV. Em uma rara admissão de erro, o presidente diz: “Lamento profundamente qualquer tipo de dano…”

Continua após a publicidade

8. O vice, Gerald Ford, toma posse e, um mês depois, concede perdão absoluto a Nixon por qualquer crime cometido como presidente. O escândalo termina com o povo desconfiado, a imprensa mais atenta e a política americana criando processos mais práticos para investigar e combater irregularidades do governo

  • Relacionadas

Faces do crime

Eles escreveram a história do maior escândalo político dos States

Continua após a publicidade

BOB WOODWARD
Republicano, começou no Post em 1971 e é considerado um dos melhores repórteres investigativos da história

CARL BERNSTEIN
Democrata, Bernstein completava Woodward. Enquanto o parceiro era cauteloso e sistemático, Carl era a energia da dupla

BEN BRADLEE
Editor-chefe do Post durante o caso Watergate. Apoiou seus repórteres mesmo sob forte pressão política contra a investigação

Continua após a publicidade

MARK FELT
Identidade do informante Garganta Profunda, revelada em 2005, numa entrevista à revista americana Vanity Fair

H.R. HALDEMAN
Assessor direto de Nixon, condenado em 1974. Foi um dos arquitetos do assalto aos escritórios democratas em Watergate

JOHN DEAN
Testemunha-chave da promotoria, o advogado da Casa Branca revelou que Nixon sabia do esquema de espionagem política

RICHARD NIXON
Único presidente americano a renunciar. Divide com George W. Bush o status de governante mais impopular na história do país

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

A ciência está mudando. O tempo todo.

Acompanhe por SUPER.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou

Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Super impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 12,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.