Clique e Assine a partir de R$ 12,90/mês

Onde as aranhas caranguejeiras gostam de fazer seus ninhos?

Por Redação Mundo Estranho Atualizado em 4 jul 2018, 20h14 - Publicado em 18 abr 2011, 18h48
caranguejeira

Ao contrário de boa parte das aranhas, que tecem suas casas com fios de seda em áreas altas, as caranguejeiras preferem construir seus refúgios em tocas debaixo de pedras ou junto ao tronco de árvores. “Elas podem cavar seus próprios buracos ou aproveitar os já existentes no solo”, afirma o biólogo Antônio Domingos Brescovit, do Instituto Butantan, em São Paulo. Geralmente, as tocas são proporcionais ao tamanho do animal e não costumam ser muito profundas. Bicho de hábito noturno, a caranguejeira – nome popular dado a várias espécies de aranha de corpo grande e peludo – é encontrada em jardins, matas e moitas de capim. Em alguns países, ela é conhecida como tarântula. Uma particularidade dessas aranhas é o fato de elas possuírem apenas dois pares de fiandeiras (as estruturas usadas para tecer fios), enquanto a maioria das aranhas tem três pares. Elas costumam viver isoladas e alimentam-se de pequenos animais de sangue frio, como répteis e anfíbios, insetos e até mesmo aves de pequeno porte. Com as quelíceras, duas pequenas garras localizadas perto da cabeça, elas perfuram e injetam veneno em suas presas e em eventuais agressores. Todas são venenosas, embora as existentes no Brasil tenham veneno pouco ativo no homem. As caranguejeiras do gênero Atrax, encontradas na Austrália, estão entre as que podem matar uma pessoa.

Buraco, doce buraco Na hora do acabamento, as aranhas forram suas tocas subterrâneas com fios de seda

1 – As caranguejeiras constroem seu refúgio debaixo de pedras, junto a troncos caídos ou em buracos rasos. Elas preferem ninhos rentes ao chão, pois, devido ao seu tamanho — as maiores chegam a 30 centímetros! —, elas ficariam muito expostas em teias. Perto do solo, elas também têm mais facilidade de achar alimento

2 – Para cavar as tocas, elas usam uma espécie de dentinho localizado na parte da frente das quelíceras, nome dado às garras que usam para picar suas presas. Esses dentinhos, também chamados de rastelo, são uma série de pêlos adaptados, semelhantes a uma escova com cerdas de metal

3 – Depois de cavar o buraco, é preciso retirar a terra. Na hora de fazer essa faxina da casa, as caranguejeiras jogam o entulho para trás com a ajuda das patas dianteiras, empurrando a sujeira para fora de seus ninhos

4 – O trabalho de acabamento é caprichado: algumas caranguejeiras forram o buraco com fios de seda. Esse revestimento tem várias funções: manter o local limpo, impedir a entrada de formigas e servir de alerta — quando um animal esbarra na teia, a aranha detecta o intruso na hora, pois o fio é uma extensão do seu sistema sensorial

Continua após a publicidade

Publicidade