GABRILA65162183544miv_Superinteressante Created with Sketch.

Por que a água-viva queima?

Filamentos explosivos injetam veneno na pele da vítima

Também conhecida como medusa, essa criatura possui células chamadas cnidócitos, dotadas de filamentos que injetam toxinas na pele de suas vítimas, produzindo a sensação de queimadura. “Ao menor contato, a água-viva dispara esses filamentos como um verdadeiro tiro à queima-roupa”, afirma o biólogo marinho José Carlos Freitas, do Instituto de Biociências da USP.

As toxinas usadas para defesa e para captura de suas presas variam de uma espécie para outra, mas geralmente há uma combinação de substâncias paralisantes, necrosantes e destruidoras de glóbulos vermelhos. O grau da queimadura também depende da espécie e da região da pele onde ocorre o contato. Locais como o dorso da mão, coxas, abdômen e o rosto são os mais sensíveis. No Brasil, não há registro de morte causada por medusas, mas as queimaduras provocadas pela espécie Chironex fleckeri, conhecida como vespa-do-mar e comum nas costas da Austrália, podem ser fatais.

Projétil microscópico
Filamentos explosivos injetam veneno na pele da vítima

1. A medusa possui, nos tentáculos, células especiais chamadas cnidócitos. Elas produzem as cnidas, cápsulas microscópicas capazes de injetar veneno no nadador desavisado.

2. Ao menor contato, a cápsula explode e um pequeno tubo é lançado para fora em alta velocidade. Esse projétil penetra na pele, causando a ardência.