Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês

Por que cantamos no chuveiro?

Por Redação Mundo Estranho Atualizado em 4 jul 2018, 20h16 - Publicado em 18 abr 2011, 18h57

Por causa de suas paredes ladrilhadas, o banheiro normalmente é o lugar da casa que tem a melhor acústica. Ao contrário do que acontece com materiais porosos, a superfície dura e lisa dos azulejos reflete o som por inteiro – em vez de absorver parte dele. Dependendo das dimensões do banheiro, isso faz com que a reverberação – o tempo em que as ondas sonoras permanecem no ambiente depois de emitidas – possa ser até duas vezes maior que o normal, não só prolongando o som, como tornando-o mais encorpado. “O cantor de chuveiro recebe um alto retorno da sua voz, o que ajuda a controlar a afinação e a qualidade vocal, além de oferecer uma satisfação estética pelo efeito de uma maior potência sonora aparente”, diz o músico Leonardo Fuks, professor de Acústica da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Além disso, existem mais dois fatores que tornam o chuveiro o paraíso do cantor amador.

Um deles é a ressonância: ao refletir o som, as paredes colocam em evidência certas características da voz. “Isso pode dar um brilho especial à voz “, afirma Leonardo. O outro é o mascaramento acústico: a água caindo no chão gera um ruído difuso, que neutraliza os sons externos, criando a sensação de que a pessoa não será ouvida por quem estiver fora do banheiro.

Publicidade