GABRILA65162183544miv_Superinteressante Created with Sketch.

Por que o time argentino Boca Juniors tem esse nome?

O nome é uma homenagem a La Boca, o bairro onde o clube foi fundado, na periferia de Buenos Aires. O lugar, por sua vez, ganhou esse apelido porque a região fica na junção entre os rios da Prata e Riachuelo, que formam uma espécie de “boca” ao se encontrarem. O sobrenome “Juniors” tem uma outra origem. Para suavizar a relação do clube com a imagem barra-pesada do bairro, os fundadores decidiram adicionar ao nome a palavra inglesa “Juniors”, tida como mais requintada. Mistureba maluca, né? A maioria dos times do mundo, porém, não tem uma história tão exótica assim. Existem clubes que exaltam figuras históricas – o Vasco da Gama é o mais famoso deles. Outra parcela escolheu tirar seus nomes do local de fundação, seja um país, uma cidade, um estado ou um bairro. Fazem parte desse bolo o Santos, o São Paulo, o Coritiba, o Flamengo, o Fluminense, o Porto (Portugal), o Barcelona (Espanha) e todos os Américas espalhados pelo continente. Um terceiro grupo atende pelos chamados nomes “universais” de clubes, muito tradicionais no mundo da bola. Nessa categoria, encaixam-se os brasileiros Grêmio, Internacional e Sport, a italiana Internazionale e o francês Olimpique. Um quarto conjunto de times reúne essas palavras universais e a referência geográfica no mesmo nome: Real Madrid (Espanha), Manchester United (Inglaterra) e os diversos Atléticos do mundo. No batismo de um novo clube, vale tudo – e, como muitos nomes surgem na mesa de bar ou no final de um bate-bola, não dá para esperar muita criatividade. O Corinthians, por exemplo, é uma homenagem à equipe inglesa de mesmo nome que excursionou pelo Brasil em 1910. Já o arqui-rival Palmeiras ganhou o nome definitivo durante a Segunda Guerra Mundial, pois até então se chamava Palestra Itália. Na época, o governo do presidente Getúlio Vargas posicionou-se contra o Eixo, formado por Alemanha, Japão e Itália. Como ele ameaçou confiscar os bens das instituições cujos nomes lembrassem esses países, os pioneiros decidiram mudar o nome do clube, mas mantiveram o “P” no distintivo para homenagear a extinta Associação Atlética das Palmeiras, equipe amadora onde alguns deles haviam jogado.

Esquadrões esquisitões
Nomes de guerreiros, batalhas, bairros e até cervejarias batizam famosos clubes de futebol

AJAX (Holanda)

O nome do atual campeão holandês foi inspirado no mitológico guerreiro grego Ájax, retratado no poema épico Ilíada, de Homero. Tido como o mais poderoso guerreiro depois de Aquiles, Ájax teria sido um dos líderes do exército grego na Guerra de Tróia, mas teria enlouquecido e se matado depois de perder uma batalha para Odisseu

AVAÍ (Brasil)

O time mais popular de Florianópolis não tem nada a ver com o 50º estado americano. O nome é uma homenagem a um episódio da Guerra do Paraguai, a “Batalha do rio Avaí”. A ata de criação do clube já havia sido assinada, mas ele ainda não tinha nome. Foi quando um dos fundadores lembrou do conflito em um livro de história que acabara de ler. Impressionados, os colegas aceitaram a sugestão

BOTAFOGO (Brasil)

O nome do clube veio do nome do bairro carioca — que veio de onde? A calma enseada do lugar foi colonizada pelo armador português João Pereira de Souza Botafogo, no século 16. O gajo, por sua vez, acrescentou o “Botafogo” ao sobrenome em homenagem ao navio de guerra São João Batista, chamado popularmente de “Botafogo” em alusão ao seu poderio militar

BAYER LEVERKUSEN (Alemanha)

Em 1904, os funcionários bons de bola da Bayer, uma gigante do setor farmacêutico, criaram um time com o nome da empresa na cidade de Leverkusen. O Bayern de Munique, outro grande clube alemão, surgiu antes do Bayer e não tem qualquer ligação com a fabricante da aspirina. “Bayern” é a tradução alemã de Bavária, estado cuja capital é Munique

BORUSSIA DORTMUND (Alemanha)

Esse clube alemão deve o nome a uma rebeldia etílica. Em 1909, um time formado por 18 jovens católicos da cidade de Dortmund rompeu com a paróquia que freqüentavam e fundou a equipe. Só para provocar o padre, o nome foi inspirado na cervejaria Borussia, onde eles costumavam tomar umas geladas depois do jogo

PONTE PRETA (Brasil)

O nome nasceu a partir de uma ferrovia que cortava o interior de São Paulo, construída no final do século 19. Para que ela passasse por um dos bairros de Campinas, foi preciso erguer uma ponte de madeira, enegrecida com piche para melhorar a conservação. Essa “ponte preta” deu nome ao bairro onde um grupo de boleiros fundou um dos primeiros clubes do país, em 1900

NEWELL’S OLD BOYS (Argentina)

O time nasceu no colégio Anglo-argentino, na cidade de Rosário. Logo que assumiu a direção da escola, Cláudio Newell batizou a equipe de Newell’s Old Boys (em tradução livre, “Os velhos meninos de Newell”), um tributo ao pai Isaac Newell. O sobrenome inglês lembra a terra natal dos ancestrais de Cláudio

RIVER PLATE (Argentina)

O maior rival do Boca Juniors também surgiu na confluência dos rios da Prata e Riachuelo, em Buenos Aires. Antes de uma pelada nas docas, um jogador observou marinheiros ingleses desembarcarem enormes caixas com a inscrição “The River Plate” (“O Rio da Prata”). O nome pegou – e o River, apesar de ter mudado do bairro, segue como inimigo nº 1 do Boca