Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês

Quais são os principais grupos armados palestinos?

Por Roberto Navarro Atualizado em 4 jul 2018, 20h13 - Publicado em 18 abr 2011, 18h47
640px-Yasin_Rantisi_Hamas_Wahlkampf

Um monte de grupos guerrilheiros em todo o mundo já realizou ações armadas alegando defender “a causa dos árabes palestinos”. Mas a gente considerou apenas as organizações que participam da luta armada em Israel ou na região da Palestina. Fizemos uma ficha dos cinco principais grupos no quadro abaixo. A ideologia básica deles é a mesma: todos lutam pela libertação da Palestina, área disputada por árabes e israelenses desde meados do século 20, e pelo retorno dos refugiados palestinos que vivem espalhados pelo Oriente Médio. Unidos por esse objetivo comum, os grupos se juntaram na Organização para a Libertação da Palestina (OLP), um agrupamento político que representa os 8 milhões de palestinos que existem no mundo. A OLP foi criada em 1964 para centralizar a liderança dos vários grupos que operavam como movimentos de resistência clandestinos. Nos anos 90, a organização admitiu negociar a paz com os israelenses. O problema é que rolam vários “rachas” e dissidências no interior da OLP. Grupos mais moderados, como a Frente Democrática para a Libertação da Palestina, hoje aceitam sentar na mesa para discutir uma convivência pacífica com Israel. Mas facções radicais como a Jihad Islâmica ainda apostam na controversa tática dos atentados terroristas – e sequer admitem a existência de Israel. Com a violenta repressão do Exército israelense ao terrorismo, o sangue continua jorrando no Oriente Médio.

Tocando o terror Facções radicais ainda apostam em atentados na luta contra os israelenses

Al-fatah

Época – Final dos anos 50

Fundada pelo líder Yasser Arafat, morto em 2004, esse grupo adota como estratégia a luta de guerrilhas com pequenas ações isoladas. O objetivo é eliminar o controle do Exército israelense na Palestina

Ação famosa – Uma das facções mais extremistas do Al-Fatah, chamada Setembro Negro, matou 11 atletas israelenses em plena Olimpíada de Munique, em 1972

Frente democrática para a libertação da palestina

Época – 1969

Tido como moderado, esse grupo defende a existência de um Estado palestino convivendo com Israel. Envolvido em ações armadas nos anos 70 e 80, a FDLP hoje critica o terrorismo – pelo menos o internacional, opondo-se a atentados fora do Oriente Médio

Ação famosa – Em maio de 1974, a organização assumiu a autoria do seqüestro e morte de mais de 20 crianças israelenses na cidade de Maalot

Frente popular para a libertaçÃo da palestina

Época – 1967

Continua após a publicidade

Nascida da fusão de três grupos guerrilheiros, a FPLP rejeita acordos com o governo israelense e é contra as atuais negociações pela paz. A organização ficou conhecida pelos seqüestros internacionais de aviões de passageiros entre 1968 e 1974

Ação famosa – Uma dissidência barra-pesada, chamada de Comando Geral, invadiu um prédio de apartamentos em Israel, matando 18 pessoas em 1974

Jihad islâmica palestina

Época – Entre 1979 e 1981

Apontado como o grupo armado palestino mais radical, a Jihad opõe-se à existência de Israel e luta contra a presença de israelenses em território palestino. Os militantes da organização já participaram de vários atentados suicidas com carros-bomba

Ação famosa – Em março de 1996, a Jihad se responsabilizou por atentados suicidas na cidade israelense de Tel Aviv, matando 20 pessoas

Hamas

Época – 1987

Organização que faz trabalhos educacionais e beneficentes e participa de atividades políticas pacíficas, mas que também tem um braço militar que já realizou mais de 20 ataques suicidas contra civis israelenses no século 21

Ação famosa – O Hamas assumiu a responsabilidade pelo primeiro atentado suicida contra civis em Israel, quando um homem-bomba matou cinco pessoas num ponto de ônibus em 1994

Continua após a publicidade
Publicidade