Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês

Qual a diferença entre identidade de gênero e orientação sexual?

Embora muita gente os confunda, esses termos definem aspectos bem distintos de uma mesma pessoa.

Por Bruno Machado Atualizado em 29 jan 2021, 21h10 - Publicado em 28 jan 2016, 13h35

“Gênero” foi usado pela primeira vez para expressar uma diferença social e psicológica entre homens e mulheres em 1955, pelo psicólogo John Money (1921-2006). A filósofa Simone de Beauvoir (1908-1986) ajudou a teorizá-lo e evidenciou os componentes sociais em sua construção (daí sua frase “Não se nasce mulher, torna-se mulher”, citada no Enem 2015). O avanço dos estudos nos anos 1970 e 1980, especialmente nas ciências sociais, reforçou a dissociação entre gênero e genitais (ou outras características físicas). Um exemplo é a transgeneridade, que vem sendo muito discutida nos últimos anos, mas também não é “novidade”: o termo “transgênero” foi criado pelo psiquiatra John F. Oliven há 50 anos e já foi bem aceito pela ciência desde então.

Cada coisa é uma coisa

Os termos que vamos explicar abaixo não estão necessariamente relacionadas.

1. Identidade de gênero

É o gênero com que a pessoa se identifica. Há quem se perceba como homem, como mulher, como ambos ou mesmo como nenhum dos dois gêneros: são os chamados não binários. Cisgênero é aquele que se Identifica com o mesmo gênero que lhe foi dado no nascimento. Já transexual ou transgênero é quem se identifica com um gênero diferente daquele que lhe foi dado no nascimento.

2. Orientação sexual

Depende do gênero pelo qual a pessoa desenvolve atração sexual e laços românticos. Heterossexual é quem tem atração por alguém de outro gênero. Já homossexual é quem tem atração por alguém do mesmo gênero. O bissexual tem atração por ambos. A assexualidade normalmente é definida como a ausência de desejo sexual por qualquer gênero. Mas essa é a assexualidade em um sentido estrito. Existe uma “zona cinza” de assexuais que sentem atração por um dos gêneros (ou ambos) só em circunstâncias específicas.

Continua após a publicidade

3. Expressão (ou performance) de gênero

Refere-se às maneiras que as pessoas usam para expressar seu gênero em sociedade, desde o uso de roupas e acessórios até detalhes físicos, como os gestos, as atitudes e o timbre da voz. Uma pessoa pode ser cisgênero e heterossexual e mesmo assim se vestir de maneiras tradicionalmente associadas ao gênero oposto ao que se identifica.

4. Genitais

Pênis, vagina ou ambos – uma pequena porcentagem da população nasce com os dois órgãos simultaneamente por questões genéticas. Os órgãos sexuais em si e as demais características biológicas não tem a ver necessariamente com o gênero com que uma pessoa se identifica, nem com sua orientação sexual, nem com sua performance de gênero.

Fontes: Daniela Andrade, ativista transexual, membro da Comissão da Diversidade Sexual da OAB – Osasco, Luciana Vasconcellos, travesti, e Bárbara Aires, ativista transexual; artigos Gênero, O Que É Isso?, de Maria Eunice Figueiredo Guedes, O Tráfico de Mulheres – Notas sobre a “Economia Política” do Sexo, de Gayle Rubin, livro Problemas de Gênero, de Judith Butler, e sites PLC122, Tansfeminismo e Brasil.gov.br.

Continua após a publicidade
Publicidade