Assine SUPER por R$2,00/semana
Continua após publicidade

Qual a origem dos sete pecados capitais?

Gula, luxúria, avareza, ira, soberba, preguiça e inveja: entenda por que esses se tornaram os sete principais vícios para a igreja católica.

Por Marina Motomura
Atualizado em 22 fev 2024, 11h25 - Publicado em 18 abr 2011, 18h25

 Os sete pecados capitais são quase tão antigos quanto o cristianismo. Mas eles só foram formalizados no século 6, quando o papa Gregório Magno, tomando por base as Epístolas de São Paulo, definiu como sendo sete os principais vícios de conduta: gula, luxúria, avareza, ira, soberba, preguiça e inveja.

A lista só se tornou “oficial” na Igreja Católica no século 13, com a Suma Teológica, documento publicado pelo teólogo são Tomás de Aquino. No documento, ele explica o que os tais sete pecados têm que os outros não têm.

O termo “capital” deriva do latim caput, que significa cabeça, líder ou chefe, o que quer dizer que as sete infrações são as “líderes” de todas as outras.

E, do ponto de vista teológico, o pecado mais grave é a soberba, afinal é nesta categoria que se enquadra o pecado original: Adão e Eva aceitaram o fruto proibido da árvore do conhecimento, querendo igualar-se a Deus.

Continua após a publicidade

A Igreja até tentou oferecer soluções para os pecados capitais, criando uma lista de sete virtudes fundamentais – humildade, disciplina, caridade, castidade, paciência, generosidade e temperança –, mas os pecados acabaram ficando mais famosos.

Outras religiões, como o judaísmo e o protestantismo, também têm o conceito de pecado em suas doutrinas, mas os sete pecados capitais são exclusivos do catolicismo.

Soberba

Os sete pecados capitais: soberba
(Paul Bradbury/Getty Images)

Do ponto de vista teológico, a soberba (ou orgulho) é o pecado mais grave de todos. Afinal, é nesta categoria que se enquadra o pecado original: Adão e Eva aceitaram o fruto proibido da árvore do conhecimento, querendo igualar-se a Deus. A igreja acredita que essa seja a origem dos outros pecados capitais.

Gula

Os sete pecados capitais: gula
(Jupiterimages/Getty Images)

Comer ou beber demais intencionalmente é o que caracteriza a gula. Não estamos falando de fazer uma boa refeição ou beber um vinho de vez em quando. Para a igreja católica, o pecado ocorre quando você come ou bebe a ponto de ficar doente ou alterado fisicamente – seja bêbado ou com uma dor de barriga.

Continua após a publicidade

Avareza

Os sete pecados capitais: avareza
(GSO Images/Getty Images)

A avareza é o amor e desejo pelas posses terrenas – como o dinheiro. Almejar o enriquecimento e fortuna entra nesta categoria. O “antídoto” para a avareza seria a generosidade e caridade, dar suas posses para pessoas mais necessitadas.

Preguiça

Os sete pecados capitais: preguiça
(Chris Stein/Getty Images)

Nesse contexto, o pecado não inclui apenas a preguiça física (querer passar o dia jogado na cama, por exemplo), mas também a mental e espiritual. Ela significa não querer fazer sacrifícios em prol de deus ou de outras pessoas.

Ira

Os sete pecados capitais: ira
(mihailomilovanovic/Getty Images)

A ira envolve o sentimento hostil e desejo por vingança. Ela é diferente da raiva, por exemplo: você não controla quando sente raiva, mas pode escolher o que fazer com ela. Optar pela paciência seria a melhor forma de evitar a ira.

Continua após a publicidade

Luxúria

Os sete pecados capitais: luxúria
(Tomas Rodriguez/Getty Images)

Trata-se do desejo intenso, geralmente sexual, mas em alguns contextos também pode estar relacionado à fama e fortuna. Segundo a igreja, a castidade é uma maneira de evitar esse pecado.

Inveja

Os sete pecados capitais: inveja
(FangXiaNuo/Reprodução)

Esse pecado tem a ver com o ressentimento pela felicidade, sorte, talento ou fortuna de outra pessoa.

Compartilhe essa matéria via:
Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

A ciência está mudando. O tempo todo.

Acompanhe por SUPER.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou

Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Super impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 12,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.