GABRILA65162183544miv_Superinteressante Created with Sketch.

Quantos países ainda vivem em ditadura?

Atualmente, 49 países no mundo vivem em regime ditatorial. Conheça alguns deles

PERGUNTA Pedro Rubbioli Amorim, Campinas, SP

Atualmente, 49 países no mundo vivem em regime ditatorial – segundo levantamento da Freedom House, ONG americana que monitora anualmente as democracias ao redor do mundo.

O relatório de 2018 da ONG aponta para uma “crise democrática” global – uma vez que, pelo 12º ano seguido, a Freedom House encontrou um “saldo negativo”:  o número de países que sofreu com guinadas ao autoritarismo foi maior do que o de nações que tiveram evoluções positivas em seus modelos democráticos.

A Turquia e a Ucrânia foram citadas como exemplos em que as liberdades democráticas, que começavam a se estabilizar, foram novamente desestruturadas. O resumo do relatório pode ser visualizado no mapa abaixo (a versão interativa está disponível neste link).

Mas afinal, o que esses estudos querem dizer quando falam em “regimes ditatoriais”?

Também chamadas de “autocracias”, essas nações não permitem voto popular periódico para escolher os governantes e tampouco liberdade de expressão. Em algumas delas, os governos afirmam que são democráticos e até organizam eleições. No entanto, os candidatos da oposição são sempre ameaçados e acabam desistindo ou morrendo “misteriosamente” pouco antes do pleito. Ou então os resultados são pra lá de duvidosos, com diversas acusações de fraude.

Abaixo, alguns exemplos de ditaduras em vigor no mundo.

1. CUBA

Desde 1959
Modelo Estado Comunista
Ditador Miguel Díaz-Canel (desde 2018)
Cuba vive sob regime de um partido único, o Partido Comunista. Mesmo assim, votação por lá só nos municípios com candidatos autorizados pelo partido. Eleição para o cargo de presidente nem pensar. A ilha vive nesse modelo desde a Revolução de 1959, quando Fidel Castro tomou o poder. Não existe liberdade de expressão e a imprensa não pode criticar o governo

2. RÚSSIA

Desde 1991
Modelo República Socialista Federativa
Ditador Vladimir Putin (desde 2000)
Desde que Vladimir Putin assumiu o poder na Rússia, em 2000, ele controlou, aos poucos, a liberdade da imprensa, começou a nomear os governadores sem eleições e perseguiu (ou matou) seus opositores. Alternando entre os cargos de presidente e primeiro-ministro, Putin está no poder há 18 anos. Nas últimas eleições houve denúncias de fraude, mas ele foi eleito assim mesmo

3. CHINA

Desde 1949
Modelo Estado Comunista
Ditador Xi Jinping (desde 2013)
A China é considerada uma ditadura clássica. Além do rígido controle do Estado sobre a política, a censura rola solta: desde a imprensa até a escolha dos filmes que podem entrar nos cinemas. Só existe o Partido Comunista e as eleições são feitas dentro dele, já que membros do partido são os únicos que podem se candidatar e votar

4. EGITO

Desde 2013
Modelo Indefinido
Ditador Abdel Fattah Al Sisi (desde 2014)
O Egito teve sua primeira eleição direta em 2012, após a queda do ditador Hosni Mubarak, que estava no poder desde 1981. Mas o presidente eleito, Mohamed Mursi, durou pouco. O país sofreu um golpe militar com apoio popular e passou por um período de “ditadura temporária”. Ainda mantém a Constituição suspensa

5. OMÃ

Desde 1749
Modelo Sultanato
Ditador Qaboos bin Said Al Said (desde 1970)
É difícil afirmar qual a ditadura mais antiga do mundo, já que existem diversos países que nunca foram, realmente, democráticos. No entanto, o pequeno Omã, no Oriente Médio, chama a atenção por ser governado pela mesma família há mais de 260 anos. Quem manda por lá é o sultão Qaboos bin Said Al Said. Não existe Constituição e boa parte das regras se baseia no islamismo

6. COREIA DO NORTE

Desde 1948
Modelo Estado Comunista
Ditador Kim Jong Un (desde 2011)
A Coreia do Norte tem o regime mais autoritário do mundo. O poder é controlado pelo Partido Comunista e pelas Forças Armadas. Como a economia está em frangalhos, para sobreviver, o país recebe ajuda de China, Japão e Coreia do Sul. O penúltimo ditador do país, Kim Il-sung, que morreu em 1994, foi proclamado o “Presidente Eterno da República”. Seus sucessores tiveram de se conformar com o título de Chefe de Estado

COMO CRIAR SUA PRÓPRIA DITADURA
É simples, mas não tente fazer em casa

– Nada de dar liberdade à imprensa. Todos devem falar bem do governo
– Evite ter mais de um partido, assim outras opiniões não chegarão ao poder
– Tenha filhos para substituí-lo, caso você morra ou fique velho e doente
– Escolha um grupo de amigos para serem os únicos com direito de votar nas eleições. Avise que eles devem votar em você, caso ainda não saibam
– Tenha uma boa equipe de torturadores e assassinos profissionais

FONTES Livro Ditaduras Contemporâneas, de Maurício Santoro, CIA e sites freedomhouse.org e systemicpeace.org

CONSULTORIA Mauricio Santoro, cientista político, professor e assessor de direitos humanos da Anistia Internacional

Newsletter Conteúdo exclusivo para você