Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês

Que seres vivem na areia da praia?

Os animais estão classificados dentro de três categorias, conforme o seu tamanho

Por Yuri Vasconcelos Atualizado em 14 fev 2020, 17h50 - Publicado em 18 abr 2011, 18h51

Muita gente nem imagina, mas nas praias arenosas vivem escondidas várias espécies marinhas. São animais difíceis de ver porque são muito pequenos – alguns até invisíveis ao olho nu – e porque vivem enterrados e camuflados. “Boa parte dos bichos tem coloração parecida com a da areia. Para identificar a presença deles, é mais fácil ficar atento aos pequenos furinhos no chão e aos rastros deixados”, afirma o biólogo Álvaro Migotto, do Centro de Biologia Marinha (Cebimar) da Universidade de São Paulo (USP). Quase todos os grandes grupos de animais marinhos, como crustáceos, moluscos e anelídeos, estão presentes nesse ecossistema. As milhares de espécies que vivem à beira-mar podem habitar três diferentes segmentos da areia: a faixa superior, mais longe da água, que só é coberta pelas ondas em marés altas bem fortes; a faixa mediana, atingida pela maré duas vezes ao dia; e a faixa inferior, quase sempre submersa.

: macrofauna (bichos com mais de 1 milímetro), meiofauna (de 0,1 milímetro a 1 milímetro) e microfauna (abaixo de 0,1 milímetro). “Apesar de invisíveis para nós, os animais da meiofauna e da microfauna são extremamente numerosos e muito importantes em termos ecológicos e zoológicos. Eles vivem nos espaços entre os grãos de areia”, afirma Migotto. Os bichos mais conhecidos por quem freqüenta a praia, no entanto, pertencem à macrofauna e medem de 2 a 20 centímetros. Entre eles, há a tatuíra, o vôngole, o caranguejo guaruçá, a bolacha-da-praia, os gastrópodes e o corrupto. Além desses moradores fixos, o ecossistema à beira mar também recebe muitos visitantes, como as gaivotas e os maçaricos, aves que exploram a areia em busca de alimento nas marés baixas. Nas marés altas é a vez de peixes e crustáceos saírem do fundo do mar para procurar comida na praia submersa.

Mergulhe nessaNa livraria:

The Biology of Soft Shores and Estuaries, Colin Little, Oxford University Press, 2000

Seashore Life of Southern California, Sam Hinton, University of California Press, 1987

Na internet

http://www.usp.br/cbm/artigos/praia.html

http://www.montereybayaquarium.com/efc/efc_hp/hp_bchs_exhibit.asp

Fauna camuflada

A gente quase não vê, mas muitos bichos podem ser encontrados à beira-marAMEAÇA AÉREA

Os seres que vivem na beira da praia estão constantemente na mira de algumas aves marinhas. Com seus bicos finos e longos, os maçaricos procuram os pequenos crustáceos e moluscos que vivem enterrados na areia. As gaivotas, por sua vez, se alimentam de peixes ou de restos de outros organismos

VIDA NOTURNA

Por ter uma cor branco-amarelada e ter o costume de só sair da toca à noite, o guaruçá (Ocypode quadrata) também é chamado de caranguejo-fantasma. Outro de seus apelidos é maria-farinha. Ele cava galerias na areia, onde passa o dia escondido do sol. Para evitar a água do mar, as galerias ficam no limite extremo da areia, perto da vegetação litorânea

RÁPIDO NA FUGA

O tatuíra (Hipa sp.) é um crustáceo muito popular em toda a costa brasileira e recebe diferentes nomes, como tatuí, pulga-do-mar e tatuzinho-de-praia. Ele mede cerca de 4 centímetros e vive em buracos cavados na areia. Veloz, o tatuíra se enterra rapidamente quando a água da onda volta para o mar, deixando-o desprotegido

Continua após a publicidade

MOLUSCO APETITOSO

O vôngole (Tivella mactroides) é um dos muitos molucos bivalves — com concha formada por duas peças simétricas — que habitam as praias. Ao contrário do mexilhão, que fica grudado nas pedras, o vôngole prefere viver na areia de praias quase lodosas e sem arrebentação muito forte. O animalzinho é muito apreciado na culinária litorânea

CORRUPTOS ANÔNIMOS

Vivendo em tocas profundas na areia e raramente vistos, os corruptos são um tipo de crustáceo que se subdivide em mais de 90 espécies. Algumas delas medem poucos milímetros, mas existem aquelas que chegam a cerca de 30 centímetros! Os corruptos se alimentam de restos orgânicos e pequenos animais que entram nas suas galerias

CONCHA OCUPADA

Os gastrópodes formam o mais numeroso grupo de moluscos. Os caracóis, os búzios e aslebres-do-mar são os tipos mais conhecidos de gastrópodes marinhos. A maioria deles apresenta concha em forma de espiral, dentro da qual se aloja o corpo do animal. É com essas conchas que, quando abandonadas, as pessoas acreditam poder ouvir o som do mar

ESTRELA SEM PONTAS

A bolacha-da-praia (Encope emarginata) pertence ao filo dos equinodermos, que reúne animais como os ouriços-do-mar e as estrelas-do-mar. Ela possui um esqueleto calcário interno que se mantém normalmente inteiro após a morte do animal e que pode ser encontrado jogado na praia, entre conchas vazias e outros restos de animais e vegetais

Leia também:

– Como é avaliada a qualidade da água nas praias brasileiras?

– Como se formou a areia da praia?

– A areia das praias é igual à dos desertos?

Continua após a publicidade
Publicidade