Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês

Quem eram os garotos de “Capitães da Areia”?

Por Nina Rahe Atualizado em 4 jul 2018, 20h26 - Publicado em 8 jan 2015, 17h11
capitaes areia

CLIQUE NA IMAGEM PARA VÊ-LA AMPLIADA

ILUSTRA Ícaro Yuji

1) LEVANDO NO BICO

Tranquilo e preguiçoso, Boa-Vida evitava qualquer espécie de trabalho. Só quando a situação apertava ele roubava alguma coisa que rendesse dinheiro e entregava a Pedro Bala. Conhecia como ninguém a cidade, especialmente os lugares para encher a cara e dançar. Aos 19 anos, já era um malandro completo: tocava violão, comia e bebia do melhor e seduzia as mulatas

2) HERÓI DOS POBRES

Os Capitães da Areia eram um grupo de menores abandonados que vivia de pequenos furtos e morava num armazém velho, na região portuária de Salvador. Com habilidade para planejar os roubos e espírito de autoridade, Pedro Bala logo se tornou líder. Queria um dia ser o chefe dos malandros da cidade, mas, na vida adulta, tornou-se um militante proletário

3) MÃE, IRMÃ, NAMORADA

Depois que sua mãe morreu de varíola, Dora veio para a cidade em busca de emprego. Mas nenhuma casa quis uma “filha de bexiguenta”. Vagando pelas ruas, conheceu João Grande e Professor e, aos poucos, foi ganhando a simpatia dos outros meninos, que viam nela a irmã e a mãe que nunca tiveram. Dora conquistou também o coração de Pedro Bala

4) EM NOME DO PAI

Quando um padre foi ao armazém pregar a palavra de Deus, Pirulito ouviu o chamado. Quando ajoelhou para rezar pela primeira vez, um dos meninos tirou um sarro e Pirulito deu uma surra nele. Mas, com o tempo, abandonou a violência. Passou a evitar brigas e roubos, começou a vender jornais, trabalhou como engraxate e, enfim, virou frade

5) O INFILTRADO

Sem-Pernas era o “espião”. Por ser coxo, fingia dor para conquistar a simpatia das donas de casa. Depois de pedir comida e abrigo, descobria os objetos de valor na residência e informava os comparsas. Porém, a consciência pesou quando enganou Dona Ester, uma senhora que o tratou como filho e o vestiu com uma roupa de marinheiro. Morreu numa perseguição com a polícia

6) BONITINHO MAS ORDINÁRIO

Considerado o mais elegante da turma, Gato nunca dormia no galpão. Certa noite, ao visitar a zona, apaixonou-se pela prostituta Dalva, uma mulher mais velha, de corpo forte e rosto sensual. Viraram uma dupla de vigaristas: ela atraía os homens e ele os enganava. Afanava a grana de muitos fazendeiros e comerciantes, roubava no jogo de cartas e vendia terrenos inexistentes

Continua após a publicidade

7) CORAÇÃO MOLE

João Grande foi viver na rua depois que seu pai, um carroceiro, foi atropelado por um caminhão. Era fácil entender seu apelido: ele era o mais alto e forte dos Capitães de Areia. Não era muito esperto, mas tinha um coração igualmente enorme: sempre entrava na briga quando alguém maltratava os meninos menores. Acabou embarcando como marinheiro em um navio de cargas

8) TIETE DO CANGAÇO

Volta-Seca sentia-se deslocado na cidade grande. Vivia imitando as vozes de animais sertanejos e pedindo ao Professor que lesse as notícias dos jornais sobre Lampião. Aos 16 anos, num trem rumo a Aracaju, realizou seu sonho: conheceu o rei do cangaço e entrou para o bando dele. Anos depois, foi condenado por 15 mortes – mas dizem que teria fuzilado mais de 60

9) HISTÓRIAS PARA NÃO DORMIR

Professor era o único que sabia ler, ainda que tivesse estudado pouco mais de um ano. Perito em furtar livros, toda noite ele narrava histórias de aventura aos amigos. Desenhista habilidoso, ganhava um troco fazendo retratos de turistas – de um deles, roubou o sobretudo que sempre usava. Tornou-se um pintor famoso, com muitas obras sobre crianças abandonadas e mendigos

Capitães de Areia

AUTOR Jorge Amado (1912-2001)

LANÇAMENTO 1937

GÊNERO Romance

ESTE É O SEGUNDO CAPÍTULO NA SÉRIE INFOGRÁFICOS DA LITERATURA BRASILEIRA.CONFIRA AS OUTRAS PARTES:

Como era o sítio do Pica-Pau Amarelo?

Como era a vizinhança do livroO Cortiço?

Como era a relação entre os personagens deDom Casmurro?

Continua após a publicidade
Publicidade