Clique e Assine a partir de R$ 6,90/mês

Segredos da CIA: a agência quase transformou bichos em agentes

Espiã gata morreu em missão

Por Yuri Vasconcelos Atualizado em 14 fev 2020, 17h33 - Publicado em 29 set 2017, 18h05

Ilustra Daniel Rosini
Edição Felipe van Deursen

ZERO ZERO ZOO
Até animais foram transformados em espiões da CIA

Onde – EUA
Objetivo – Criar bichos espiões
Status – Desconhecido

Leia a série “Os segredos mais sujos da CIA”:
– A caçada a Osama bin Laden  
– Os planos para invadir todos os celulares do mundo
– O túnel para enganar os soviéticos em Berlim
– O projeto sinistro para criar agentes zumbis
– Como a CIA arquitetou o golpe militar no Chile
– A influência da CIA na política brasileira
– Os animais que quase viraram espiões

 

Daniel Rosini/Mundo Estranho
Continua após a publicidade

1. BICHANO ACÚSTICO
Nos anos 60, a CIA gastou US$ 20 milhões em aparelhos de escuta e no treinamento de gatos, para transformá-los em máquinas de espionagem. Aproximando-se dos alvos sem levantar suspeita, os felinos gravariam conversas de diplomatas, militares ou agentes soviéticos

2. FUÉÉN
Após cinco anos, uma gatinha foi considerada apta para a missão. Ela deveria bisbilhotar espiões em um parque de Washington, EUA. Só que não rolou. Uma van largou a felina no local, mas ela foi atropelada por um táxi ao cruzar a rua. Com o fiasco, o projeto foi arquivado

PAPARAZZO DE ASAS
A CIA também tentou usar pombos para reconhecimento aéreo. Eles levariam uma minicâmera presa ao peito, que clicaria alvos predefinidos. As imagens seriam mais detalhadas do que as que outras plataformas aéreas faziam, já que a ave voa mais baixo. Não se sabe se o projeto deu certo, pois seus arquivos ainda são confidenciais

ESCAMOSO
Nos anos 90, o Escritório de Tecnologias Avançadas da CIA criou um bagre-robô, dotado de propulsão na cauda, um casco resistente a elevadas pressões e equipamento de rádio que permitia ser controlado remotamente. Especialistas acreditam que ele foi programado para coletar amostras de água perto de usinas nucleares suspeitas

FONTES Livro Legado de Cinzas, de Tim Weiner; BBC, CIA, Estadão, O Globo, The Guardian, The Independent, National Geographic, El País, Scientific American, Telegraph, Terra, UFMG, Último Segundo, UOL e Zero Hora

Continua após a publicidade

Publicidade