Clique e Assine por apenas 8,90/mês

Unabomber, o terrorista superdotado que causou pânico nos EUA

Contrário à tecnologia e ao desenvolvimento não sustentável, este professor de QI altíssimo virou terrorista e causou pânico nos EUA entre 1978 e 1995

Por Danilo Cezar Cabral - Atualizado em 4 jul 2018, 20h13 - Publicado em 9 fev 2017, 15h38
retrato_ted_unabomber

ILUSTRA Mateus Santolouco

1) Filho de um casal de descendência polonesa, Theodore Kaczynski nasceu em Chicago em maio de 1942. Kaczynski era um garoto recluso e vítima frequente da zoação de colegas por ser considerado estranho. Apesar do bullying, tornou-se aluno exemplar. De tão inteligente, até pulou uma série do ensino básico.

2) Obcecado por matemática, ingressou em uma classe de lógica avançada e concluiu o ensino médio com 15 anos. Em 1958, foi aceito na Universidade de Harvard, onde integrou estudos sobre estresse psicológico. Especialistas acreditam que a experiência pode tê-lo traumatizado e motivado futuras ações.

3) Em 1967, tornou-se professor assistente na Universidade da Califórnia, mas a gagueira e o nervosismo o forçaram a abandonar o cargo. Em 1973, mudou para uma casa nas montanhas em Lincoln, estado de Montana. Estudou técnicas de sobrevivência e iniciou uma vida autossuficiente, cortando laços com a sociedade.

Continua após a publicidade

 

Continua após a publicidade
Continua após a publicidade
Continua após a publicidade

+ Retrato Falado: Peter Sutcliffe, o Estripador de Yorkshire que matava prostitutas

+ Retrato Falado: Luis Garavito, o serial killer recordista de vítimas fatais

 

Continua após a publicidade
Continua após a publicidade
Continua após a publicidade

4) Perturbado pelo desmatamento em torno de sua propriedade, Ted começou pequenos atos de sabotagem. Em 1978, fez seu primeiro ataque, com uma bomba caseira, à Universidade Northwestern. E não parou mais. Aterrorizou linhas aéreas, faculdades e executivos de grandes empresas até 1995.

5) FBI e outras agências batizaram o caso de Unabom (fusão de “bombardeio a universidades e linhas aéreas”, em inglês). Ted usava só componentes ecologicamente corretos em suas cartas-bomba e até mascarava explosivos para parecer pedaços de madeira. No total, matou três e feriu outros 23.

6) Em 1995, o terrorista enviou um manifesto com 35 mil palavras para os jornais The New York Times e Washington Post, justificando seus atos. Era a pista que faltava: após uma extensa análise do documento e a eliminação de centenas de suspeitos, o FBI saiu no encalço de Ted, com a ajuda de seu irmão, David.

 

Continua após a publicidade
Continua após a publicidade
Continua após a publicidade

+ Retrato Falado: Aleister Crowley, o mago ocultista mais influente do século 20

+ Retrato Falado: Ted Bundy, um dos serial killers mais famosos dos EUA

 

Continua após a publicidade
Continua após a publicidade
Continua após a publicidade

7) David cedeu documentos e cartas escritos por Ted. Análises linguísticas determinaram que o autor era o mesmo do manifesto. O cruzamento de fatos de sua vida e dos ataques garantiu ao FBI um mandado de busca em sua casa, que rendeu evidências suficientes para sua prisão, em 3 de abril de 1996.

Continua após a publicidade

 

Continua após a publicidade
Continua após a publicidade
Continua após a publicidade

QUE FIM LEVOU?

A defesa tentou alegar insanidade em vão e o Unabomber foi condenado à prisão perpétua em uma prisão de segurança máxima no Colorado.

 

Continua após a publicidade
Continua após a publicidade
Continua após a publicidade

FONTES Unabomber: A Desire to Kill, de Robert Graysmith; artigo Technological Slavery: The Collected Writings of Theodore J. Kaczynski, a.k.a. “The Unabomber, de David Skrbina, e site do FBI

Publicidade