Clique e Assine a partir de R$ 12,90/mês

Ao sabor das microondas

Pesquisa revela que o gosto da comida eletrônica é diferente porque há várias alterações nas reações químicas dos alimentos.

Por Da Redação Atualizado em 31 out 2016, 19h05 - Publicado em 30 abr 1992, 22h00

Ainda que preparar alimentos em fornos microondas seja prático e rápido, o consenso dos paladares revela que o gosto da comida eletrônica é muito diferente daquela cozida nas chamas de um fogão a gás. Não é simples caso de purismo à mesa – os químicos americanos Helen Yeo e Takayuko Shimamoto, da universidade da Califórnia, provaram por todas as moléculas que a alteração do gosto reside nas diferentes reações químicas que ocorrem nos dois tipos de cozimento.
A chave do sabor está em reações químicas entre o açúcar e o grupo de proteínas das aminas. Elas dão o aspecto marrom crocante dos alimentos assados, como a casca do pão, pois resultam numa espécie de caramelização do açúcar. Durante as reações, são produzidas substâncias como a pirazina, que deixam um gosto de caramelo e nozes. Outras como o pirrol, porém, cheiram a queimado. A hipótese dos pesquisadores é que, no forno microondas, o cozinheiro é rápido demais para que as substâncias agradáveis ao paladar sejam produzidas. Prevalecem, então, as que deixam mau gosto.

Publicidade