GABRILA65162183544miv_Superinteressante Created with Sketch.

Como funciona um veleiro?

Carlos Chernij

Se você já andou de guarda-chuva numa ventania, sabe que, se ele estiver inclinado a favor do vento, vai empurrá-lo para a frente. Mas tente ir contra o vento e verá que é difícil sair do lugar – isso se você não for empurrado para trás. Igualzinho a um barco a vela, certo? Errado! Os veleiros de hoje conseguem navegar quase que contra o vento. Não funciona tão bem quanto com vento de popa, mas é melhor do que ter de baixar velas e ficar esperando.

O segredo está no formato da vela, triangular. As velas retangulares, como as das caravelas, funcionam como o guarda-chuva e servem para aproveitar ventos que venham de trás ou das laterais do barco. Já as triangulares funcionam como asas de avião (veja abaixo) e servem para navegar em ângulos de até 40 graus em relação ao vento.

No século 19, os marujos já tinham algum conhecimento desse processo. “Mas foi durante a Primeira Guerra, com o desenvolvimento da aviação, que se compreendeu melhor o funcionamento das asas e, assim, das velas triangulares”, explica Alexandre Simos, professor do curso de Engenharia Naval da USP.

A teoria em prática

Empurrar um veleiro requer um bocado de física

Que nem asa de avião

O vento que passa por cima da parte curvada tem velocidade maior que o que passa por dentro. A pressão mais alta da parte de dentro empurra o barco

Acertando o grau

A força gerada pela vela empurra o barco para o lado. Para contrabalançar, a bolina gera uma força lateral na direção oposta à da vela, equilibrando a trajetória

De ladinho

Como a vela faz força para um lado e a bolina para o outro, o barco acaba navegando sempre inclinado ou, como dizem os velejadores, adernado