Clique e assine a partir de 8,90/mês

De olho na saúde

Se for necessário, outro microssistema, também instalado na lente, injeta nos olhos a quantidade de insulina recomendada para que a situação fique controlada.

Por Da Redação - Atualizado em 31 out 2016, 18h37 - Publicado em 28 fev 2002, 22h00

Pesquisador da Universidade de Yale, nos Estados Unidos, o médico brasileiro Márcio Abreu desenvolveu lentes equipadas com microssensores capazes de fornecer informações como pressão ocular e nível de glicose no sangue, alertando assim para alterações perigosas. No caso dos diabéticos, as GlucoLens medem a quantidade de açúcar presente nos vasos sangüíneos da pálpebra. Por meio de uma reação eletroquímica, o açúcar produz uma quantidade ínfima de carga elétrica que pode ser registrada por sensores da própria lente. Um pequeno aparelho, atado ao pulso do paciente, recebe essas informações enviadas pelas lentes via sinais de rádio. Dessa forma, o diabético pode ser monitorado 24 horas por dia. Se for necessário, outro microssistema, também instalado na lente, injeta nos olhos a quantidade de insulina recomendada para que a situação fique controlada. As GlucoLens já foram licenciadas para uma multinacional e em breve devem estar nas prateleiras de todo o mundo.

Publicidade