Clique e Assine SUPER por R$ 9,90/mês
Continua após publicidade

Depressão pode aumentar mais de seis vezes o risco de diabetes

Combinada com outros fatores de risco, a depressão pode criar um ciclo vicioso.

Por Ana Carolina Leonardi
Atualizado em 15 jan 2023, 17h45 - Publicado em 15 abr 2016, 19h30

A depressão pode ser uma pedra no sapato de quem tenta prevenir a diabetes tipo 2. Pesquisas recentes mostram que pode existir uma conexão entre as duas doenças, já que é comum que os pacientes tenham as duas doenças ao mesmo tempo.

Um experimento acompanhou mais de 2.500 pessoas por quatro anos e meio no Canadá. Ao final do experimento, as pessoas com depressão desenvolveram diabetes na mesma proporção que as sem depressão, ou seja, não houve aumento de risco. Problema resolvido?

Não é bem por aí. Fatores metabólicos como obesidade, pressão alta e triglicérides alto já são conhecidos por aumentar o risco de diabetes em mais de 300%. No experimento, os pesquisadores separaram as pessoas que tinham apenas depressão daquelas que tinham, ao mesmo tempo, depressão e uma dessas disfunções metabólicas.

Se sozinha, a depressão não fez diferença, ela funcionou como um catalisador do risco junto às outras doenças: deprimidos obesos ou com pressão alta tinham 6 vezes mais chance de desenvolver diabetes tipo 2. Como explicam os cientistas no artigo, o risco total era maior do que a soma dos riscos individuais de cada problema.

LEIALSD pode ser o anti-depressivo do futuro

Continua após a publicidade

A combinação das doenças também pode criar um ciclo vicioso. A depressão pode atrapalhar os pacientes a buscar ajuda para os demais problemas de saúde. Também pode ficar mais difícil manter a rotina de remédios, exercício e alimentação saudável necessária – o que é importante tanto para tratar a própria depressão quanto para baixar a pressão e o nível de açúcar no sangue, por exemplo. No fim, um fator acaba levando à piora do outro.

Isso quando o próprio desequilíbrio químico do corpo que causa a depressão não leva ao ganho de peso e à desaceleração do metabolismo.

Os pesquisadores acreditam que descobrir essa interação entre depressão e diabetes pode ajudar os médicos a pensarem em tratamentos integrados, que levam em conta tanto a saúde mental quanto a física, para conseguir resultados melhores e mais duradouros no combate às duas doenças.

LEIA TAMBÉM:
– Pulseira detecta nível de insulina dos diabéticos – e injeta remédio se for necessário
– Dormir pouco pode causar doenças mentais
– Urso tem “diabetes” durante hibernação

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 9,90/mês*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Super impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 14,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$118,80, equivalente a 9,90/mês.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.